Home » Animais » Animais Bípedes

Animais Bípedes

Existem várias maneiras de classificar os animais. Um deles é de acordo com sua forma de deslocamento. Assim, os animais que usam quatro patas para andar são chamados de quadrúpedes e os que usam apenas duas são chamados de quadrúpedes. animais bípedes. Eles usam seus membros posteriores ou inferiores para ficar de pé e se mover.

animais bípedes

Bípede é uma palavra que deriva da palavra latina bipedus, que se refere a andar sobre dois pés ou pernas. Ao longo da história, inúmeras espécies, incluindo mamíferos, pássaros e répteis, evoluíram para assumir essa posição, incluindo dinossauros e humanos.

ESPÉCIE DE BÍPIDO

A capacidade de se locomover sobre duas patas é uma característica dos animais bípedes, já na pré-história existiam dinossauros capazes de se locomover como os bípedes atuais. Embora andar de quatro seja a norma no reino animal, existem várias espécies que rompem com esse estereótipo e entram no grupo dos bípedes. Alguns deles são:

PRIMATAS

Em geral, os primatas têm quatro membros, mas vão e voltam em dois. Eles nem sempre fazem isso, mas são capazes de ficar em pé por curtos períodos e não usam os braços para apoiar o corpo.

PÁSSAROS

Os pássaros têm dois “mecanismos” para ir de um lugar para outro: voar ou andar. Este último eles fazem em suas duas pernas. Se optarem por voar, pousam e se aproximam de suas presas ou alimentos, aproveitando seu atributo de animais bípedes. Um dos mais populares é o avestruz, pois é o animal bípede mais rápido do mundo, atingindo uma velocidade de 60 a 70 km por hora.

animais bípedes

DINOSSAUROS

Embora extintos, eram animais bípedes que viajavam pela Terra com as duas patas traseiras. Exemplos desses dinossauros são o Tiranossauro Rex, o Dainonichus e o Velociaptor. Pegadas encontradas apoiam a teoria de que esses espécimes eram animais bípedes. Isso indica que eles viajaram da mesma maneira que os pássaros. Ou seja, posicionando um pé na frente do outro. Andar em linha reta, acredita-se, era a maneira mais eficiente de se locomover.

LAGARTOS

Certos lagartos podem assumir posturas de animais bípedes ao correr. Por exemplo, os lagartos chamados dragões, localizados em regiões australianas. Estes circulam regularmente nas quatro patas, mas quando correm fazem-no em duas. Quando ameaçados ou perseguidos, eles levantam suas duas patas dianteiras para maior velocidade, lembrando dinossauros em miniatura. Quando eles levantam os membros dianteiros do chão e levantam o tronco, eles usam os dois membros traseiros para desenvolver grande velocidade.

CASOS PARTICULARES DE ANIMAIS BÍPIDOS

Os cangurus são os únicos animais bípedes que se movem saltitando. Esses saltos são feitos com as duas pernas ao mesmo tempo. É uma forma de locomoção rápida. Por causa de seus pés, eles não podem se mover corretamente.

Por outro lado, suas caudas longas, grossas e poderosas os ajudam a se equilibrar. Às vezes, esses marsupiais ficam nas quatro patas para comer, mas geralmente andam nas duas patas traseiras.

Outra peculiaridade são os anfíbios chamados Bipes que, apesar de terem apenas duas patas, não são bípedes, pois suas extremidades são frontais e não conseguem andar eretos.

Animais bípedes O que são, espécies, exemplos, características, razões

O HOMEM BÍPIDO

No caso do ser humano, chamado homem ou Homosapiens, é evidente que ele é bípede. Não tem outro modo de deslocamento natural. Este não é o caso de chimpanzés e outros primatas que podem assumir um bipedismo conhecido como facultativo. Isso significa que eles podem andar com duas ou quatro pernas, dependendo do contexto.

Nesses casos, uma das formas de deslocamento prevalece sobre a outra. É por isso que quando se fala de animais bípedes, o homem é provavelmente o primeiro espécime que vem à mente.

Andar na vertical significava para o ser humano desdobrar uma série de novas experiências em seus acontecimentos diários. A partir de então, os membros superiores ficaram livres para realizar inúmeras tarefas que são bastante constrangedoras para os animais quadrúpedes.

RAZÕES PARA O BIPEDISMO HUMANO

Existem muitas teorias que explicam que o homem não era um ser bípede, mas que estava ligado ao bipedismo. Diz-se que essa condição foi desenvolvida com o objetivo de obter alimentos das árvores com mais facilidade.

Ele também fez isso para poder mover diferentes elementos usando os membros superiores, visualizar o horizonte acima de obstáculos ou conseguir regular a temperatura do corpo ao andar ereto.

Ser bípede, em suma, permitiu que a espécie humana alcançasse um estado evolutivo superior ao do resto dos animais.

Vale ressaltar que, além do fato de o bipedismo ser uma condição natural no ser humano, estudos têm demonstrado que essa posição ereta prolongada é prejudicial a ele. Eles explicam que, devido à sua constante, o homem exige muitas atividades que, a longo prazo, levam a problemas de saúde devido ao esforço excessivo que ele faz com seu corpo.

caio carbonaro

Sobre Caio A Carbonaro Guerreiro

Caio A. Carbonaro Guerreiro é um renomado biólogo da Universidade de Santo Amaro, com vasta experiência e profundo conhecimento em seu campo. Ao longo de anos de dedicação, ele se destacou em pesquisas e projetos que contribuíram significativamente para a compreensão da biodiversidade e conservação ambiental. Sua paixão pela natureza e seu compromisso com a preservação a tornam uma referência respeitada, e seu trabalho tem um impacto duradouro na proteção dos ecossistemas e na educação ambiental.