Home » Animais » Ectoderme

Ectoderme

Divulgue para seus amigos e seguidores!

O termo ectoderme é uma conjunção das palavras ektos (fora) e derme (pele). Cientificamente é descrito como uma das três camadas de células que surgem no início do processo embrionário. É a mais externa ou superficial e, juntamente com as outras duas, começa a se desenvolver a partir da terceira semana de gestação. Abaixo do ectoderme estão o mesoderma e o endoderma.

ectoderme

Antes do surgimento desses três mantos, dois outros, conhecidos como hipoblasto e epiblasto, aparecem no feto. A primeira dá origem ao ectoderme e, posteriormente, na fase de gastrulação, surgem o endoderma e o mesoderma, graças à invaginação das células.

Importância do Ectoderme

A importância do ectoderme reside principalmente em sua funcionalidade para o desenvolvimento dos seres vivos. Esta camada, como as outras duas, evolui para originar estruturas de grande impacto para o correto funcionamento do organismo. Cada camada dará origem a diferentes células que formarão o cordão umbilical, a placenta e o líquido amniótico, entre outras partes do corpo.

No ectoderme, especificamente em sua parte anterior, forma-se uma estrutura que rapidamente começa a se distinguir, e que dá lugar ao sistema nervoso central. Tem a forma de uma placa, e é precisamente por isso que é chamada de placa neural. Os neurônios se originam dele.

A epiderme e algumas estruturas associadas, como unhas e cabelos, também são formadas na ectoderme. Também afeta a constituição da glândula pituitária, o cristalino e a córnea do olho, as glândulas salivares, os dentes, a cavidade oral e o epitélio dos órgãos sensoriais, bem como os órgãos intratorácicos e intra-abdominais.

Deve-se notar que a evolução das camadas foi apenas mencionada grosseiramente. A realidade é que cada órgão e cada parte do corpo humano tem origem ectodérmica, mesodérmica ou endodérmica. Da mesma forma, existem órgãos que possuem partes que descem de uma das três camadas indistintamente, como as glândulas supra-renais.

Como é formado o Ectoderme

O ectoderme é a primeira lâmina germinativa a aparecer.. Como dito, é o mais externo ou distal. É formado na fase de blastulação. Esta é uma fase inicial onde o embrião, com 70 a 100 células, pode se tornar qualquer tipo de tecido. Isso acontece entre 4 e 6 dias após a fertilização.

O próximo estágio neste desenvolvimento embrionário é a neurulação. Inicia-se com um aumento do ectoderme na zona medial dorsal, causado por uma importante estrutura localizada abaixo do ectoderme, chamada de notocorda.

A notocorda envia sinais indutivos ao ectoderme para armazenar células e invaginar. Especificamente, faz com que uma parte de suas células se diversifique em células precursoras de nervos, que criarão o sistema nervoso central.

O crescimento do ectoderme também é designado como placa neural. À medida que a neurulação progride, a referida placa engrossa e cria uma fenda que promove a intussuscepção. Vale ressaltar que a placa neural é a antecessora da crista neural e do tubo neural.

Como é dividido o Ectoderme

Três partes importantes do ectoderme podem ser distinguidas, que contêm uma série de estruturas, que devem ser conhecidas:

  • Ectoderme externo ou superficial. Essa área dá origem aos tecidos epiteliais, como boca, unhas, glândulas da pele, cavidades nasais, cabelos, parte dos olhos e outros. Nos animais, influencia a aparência das penas, chifres e cascos.
  • Crista neural. A placa neural tem uma área chamada placa do assoalho que fica acima da notocorda. A parte mais distante da notocorda é a crista neural.
    Como já mencionado, o ectoderme sofre dilatação na fase de neurulação. Ele começa a reservar células colocando-as em duas cadeias, nas laterais da linha central da placa neural. A placa neural sofre um processo de redução em sua linha média, aproximadamente aos 20 dias de gestação. Dá origem ao sulco neural, cada vez mais profundo, para que ocorra a invaginação. O tubo neural também é formado em cuja parte posterior se observa a crista neural. Forma um aglomerado de células na junção das bordas da placa neural dobrada.
  • Tubo neural. O tubo neural inicia-se na região cervical, e a partir daí continua em direção cranial e caudal. Os pólos cranial e caudal deste tubo permanecem abertos e relacionados com a cavidade amniótica até que a união esteja completa. O tubo neural pode ser fechado como um zíper. Quando a parte mais cranial está fechada, surgem dilatações, denominadas vesículas encefálicas. Estes dão origem à formação do cérebro, especialmente as primeiras partições (rombencéfalo, mesencéfalo e prosencéfalo). Em vez disso, a parte mais caudal e justa do tubo neural se ramifica na medula espinhal. Se o fechamento do neuroporo craniano não ocorrer, as vesículas cerebrais não se desenvolvem.

A Ectoderme e as Partes do Corpo

Em resumo, pode-se dizer que alguns. As estruturas derivadas do ectoderme são as seguintes:

  • Órgãos do sistema nervoso, como medula espinhal, cérebro e nervos periféricos.
  • A epiderme.
  • Glândulas sudoríparas e mamárias.
  • Pasta de dentes.
  • Revestimento da boca, narinas e ânus.
  • Cabelo e unhas.
  • Lente dos olhos e partes do ouvido interno.


Divulgue para seus amigos e seguidores!
caio carbonaro

Sobre Caio A Carbonaro Guerreiro

Caio A. Carbonaro Guerreiro é um renomado biólogo da Universidade de Santo Amaro, com vasta experiência e profundo conhecimento em seu campo. Ao longo de anos de dedicação, ele se destacou em pesquisas e projetos que contribuíram significativamente para a compreensão da biodiversidade e conservação ambiental. Sua paixão pela natureza e seu compromisso com a preservação a tornam uma referência respeitada, e seu trabalho tem um impacto duradouro na proteção dos ecossistemas e na educação ambiental.