Home » Animais » Peixe-lua

Peixe-lua

A fêmea deste peixe gera aproximadamente 300.000.000 de ovos simultaneamente. O maior espécime descoberto tinha mais de duas toneladas. Além disso, é famoso por ter o maior esqueleto do mundo. Essas características correspondem a peixe-lua, animal em risco de extinção, assim como a chita, o panda gigante e o urso polar. Os cientistas batizaram a espécie como mola mola, cujo significado é “roda de moinho”.

peixe-lua

O curioso peixe-lua pertence à família Molidae e cai na categoria de tetraodontiforme. Algumas das variedades com as quais está mais intimamente relacionado são o peixe-porco e o baiacu.

Características do peixe-lua

A tez do peixe-lua é plana, de forma oval e grande em tamanho. Pode exceder três metros de comprimento, e seu peso varia entre 250 kg e 2 toneladas. O indivíduo mais robusto foi localizado em julho passado (2017), na Nova Zelândia. Tinha duas toneladas e foi considerado o primeiro a ser descoberto em 130 anos. A espécie foi nomeada Mocking Moonfish.

Em geral, a pele do peixe-lua parece uma lixa., é revestido por muco e não possui escamas. As tonalidades mais comuns são cinza prateado e marrom, embora também possa ter manchas esbranquiçadas em todas as suas barbatanas, sendo esta a cor característica do abdômen.

O peixe-lua tem 16 vértebras, não tem bexiga para nadar, nadadeiras na região pélvica ou nervos. Tem um focinho minúsculo e seus dentes lembram o bico dos pássaros. Possui barbatanas alongadas nas costas e na região anal. Perto da barbatana dorsal está a barbatana peitoral e muito perto dela estão as brânquias. Ele usa sua cauda para guiar seu nado.

Habitat do peixe-lua

É comum encontrar peixes-lua em corais submersos nas profundezas (entre 40 e 500 metros) e em leitos de algas. Populações foram avistadas nas águas da Indonésia, Estados Unidos, África e Nova Zelândia, para citar alguns lugares.

Para acompanhar sua jornada, um exemplar de peixe-lua foi marcado e o resultado foi surpreendente, pois percorreu pouco mais de 1.500 quilômetros em apenas um quarto. Pode nadar com segurança em mares quentes, tropicais ou temperados. No entanto, quando o clima cai abaixo de 12ºC, você corre o risco de ficar desorientado. Esta situação pode causar a morte porque são presas fáceis para predadores como leões marinhos, orcas ou tubarões brancos.

Sua única defesa é o nado rápido. A mola mola foge para águas profundas para se proteger de seus inimigos.

Comportamento do peixe-lua

Tem um caráter essencialmente solitário. Adora tomar sol porque equilibra o calor do corpo depois de passar por áreas frias. Esse hábito permite que ele exiba suas barbatanas e se livre de certos parasitas.

Um peixe-lua pode abrigar mais de 50 espécies diferentes de bactérias. Portanto, você precisa da ajuda de aves marinhas para se livrar delas. Ele também salta para a superfície ou se aproxima de outros espécimes de sua espécie.

Sua temporada de migração é entre o verão e a primavera. Durante esse tempo, ele viaja para áreas mais altas para encontrar seu alimento. este peixe Ele é conhecido por sua docilidade, e seu caráter inofensivo com os praticantes de mergulho. Em vez disso, pode ser um problema real para os barcos, pois pode ficar preso em suas hélices.

Características do peixe-lua, habitat, alimentação, comportamento, perigos

Alimentação do peixe-lua

Seu cardápio é bastante variado, pois se alimenta de plâncton, água-viva, peixes pequenos, salpa, enguias, crustáceos, algas, lulas e esponjas. Come em abundância, pois seus principais alimentos têm pouco valor nutricional. Além disso, você deve manter seu peso e proporção física para garantir sua natação.

Quanto à sua reprodução, ainda há muita pesquisa a ser feita. No entanto, estima-se que a fêmea desova nos mares Atlântico, Pacífico e Índico no final do terceiro trimestre. Cada um dos 300.000.000 de ovos que é capaz de pôr mal ultrapassa os 10 mm. Os espermatozoides fertilizam os óvulos quando entram em contato com a água.

Quando criança, é quando o peixe-lua é mais sociável, pois é nessa fase que forma cardumes para maior proteção.

Perigos enfrentados pela espécie

Os peixes-lua jovens são frequentemente alvos de ataques de atum rabilho. Os leões marinhos também podem ser extremamente violentos, arrancando suas nadadeiras e deixando-os ao ar livre até morrerem.

Uma particularidade das ameaças enfrentadas pelo peixe-lua é constituída por caçando por engano de centenas de pescadores. O resultado deste imprevisto traduz-se em pouco mais de 300 mil peixes capturados por ano, apenas em território sul-africano. Isso afeta notoriamente o declínio das comunidades da espécie.

Há menos oportunidades em que é pescado para uso como ingrediente na gastronomia. Seu ciclo de vida em cativeiro é de cerca de dez anos. Ainda não está claro quanto tempo o peixe-lua pode viver em seu habitat natural.

caio carbonaro

Sobre Caio A Carbonaro Guerreiro

Caio A. Carbonaro Guerreiro é um renomado biólogo da Universidade de Santo Amaro, com vasta experiência e profundo conhecimento em seu campo. Ao longo de anos de dedicação, ele se destacou em pesquisas e projetos que contribuíram significativamente para a compreensão da biodiversidade e conservação ambiental. Sua paixão pela natureza e seu compromisso com a preservação a tornam uma referência respeitada, e seu trabalho tem um impacto duradouro na proteção dos ecossistemas e na educação ambiental.