Home » Animais » Pinguim Imperador

Pinguim Imperador

Na Antártida, reside uma das maiores espécies de aves e com características bastante particulares, estamos falando do pinguim imperador – Aptenodytes forsteri -. Esta variedade de pinguins destaca-se do resto devido ao seu tamanho, ao seu ciclo reprodutivo particular e ao tipo de sons que pode emitir. O pinguim imperador é uma espécie endêmica do local onde vive e sua população está em constante crescimento. O clima hostil onde esses animais desenvolvem suas vidas tem motivado estudos aprofundados sobre seu comportamento.

pinguim imperador

Características físicas do pinguim imperador

Na fase adulta, um pinguim imperador pode atingir entre 1,15 e 1,20 metros de altura e seu peso varia de 20 a 45 quilos. Embora as fêmeas tendam a pesar menos que os machos, não há diferenças físicas marcantes entre os sexos. O peso do pinguim-imperador também é condicionado pela estação do ano, pois, em épocas de baixas temperaturas, esses animais acumulam grandes quantidades de gordura corporal, principalmente quando começa o período de muda em que perdem a plumagem para serem substituídas por uma nova. Durante o processo de incubação dos ovos, essa variedade de pinguins perde uma parte significativa de seu peso. Enquanto o macho está incubando, ele deve suportar 2 meses de temperaturas extremamente baixas e durante este período ele não se alimenta, então a perda de peso é notável. Durante a época de acasalamento, o pinguim-imperador macho pesa aproximadamente 38 quilos e a fêmea, 30. Mais tarde, esse peso é reduzido.

A plumagem do pinguim imperador é muito semelhante em machos e fêmeas. Tem penas pretas que cobrem o dorso, a cabeça, a garganta e a parte dorsal das barbatanas e cauda. O ventre e a parte inferior das asas são brancos e à medida que nos aproximamos do peito e pescoço, as penas adquirem uma cor amarelo-pálido. Os fones de ouvido – ao redor da orelha do pinguim – são de um amarelo muito intenso.

O corpo do pinguim imperador tem uma adaptação hidrodinâmica do corpo que lhe permite minimizar a resistência da água ao nadar, também as suas asas tornaram-se rígidas e assemelham-se a barbatanas, dando-lhe uma grande mobilidade de natação.

Os pinguins-imperadores alimentam-se essencialmente de peixes, por vezes krill e crustáceos, para os quais possuem uma língua com espigões orientados para o interior do animal, evitando assim que as presas escapem do bico. Este é muito robusto e com uma ligeira curvatura para baixo.

O pinguim-imperador tem um andar ereto, mas a disposição das pernas – muito para trás em relação ao resto do corpo – dificulta a caminhada em terra, de forma lenta e desajeitada. No entanto, esse arranjo de pernas permite que o pinguim atue como um leme na água.

O início do ciclo reprodutivo do pinguim imperador

O pinguim imperador

O ciclo reprodutivo do pinguim imperador é um dos mais incríveis do reino animal. Esses animais atingem a maturidade sexual em aproximadamente 3 anos. Este ciclo reprodutivo dura um ano. Começa no início do inverno antártico – março, abril – quando os machos chegam a quase 150 quilômetros até as colinas de nidificação, onde procurarão uma fêmea para acasalar. A proporção de mulheres em relação aos homens é muito maior – 60% contra 40% – o que geralmente causa disputas entre elas para conseguir um homem.

Quando um macho não tem uma fêmea, ele fica em uma posição estática, move a cabeça em direção ao peito e emite alguns sons de corte muito particulares. Quando o macho e a fêmea se escolhem, eles se encaram por alguns instantes, espreguiçam o pescoço e começam a caminhar juntos pela colônia como forma de se exibir como um casal.

Após o acasalamento, durante o mês de maio, a fêmea põe um único ovo que pode pesar até meio quilo. Após a postura do ovo, a fêmea do pinguim-imperador fica sem reservas de alimentos. vai deixar o ovo aos cuidados do macho e fará uma viagem ao mar para se alimentar.

O macho incuba o ovo até a eclosão.

A fêmea transfere o ovo para o macho que, para incubar, não se sentará sobre ele, mas o colocará em uma espécie de marsúpio ou bolsa de incubação que fica entre as pernas. Durante todo o processo de incubação pelo macho, ele permanecerá imóvel para não perder o ovo. Os machos se amontoam para suportar o inverno antártico dessa maneira.

Após 2 meses de alimentação, as fêmeas retornam para onde os machos estão incubando os ovos. É um espetáculo maravilhoso ver como, através de sons, a fêmea consegue localizar o macho entre milhares de pinguins imperadores. O macho terá passado quase 120 dias sem se alimentar e perdeu quase 20 quilos de seu peso.

A eclosão do ovo pode durar até 3 dias e ocorre antes do retorno da mãe. Ao nascer, os filhotes são cobertos apenas por uma penugem macia e são totalmente dependentes de seus pais. Quando a fêmea volta, ela regurgita parte da comida que consumiu. Antes disso, o filhote recebe do pai uma substância produzida no esôfago deste, que contém os nutrientes necessários, e este se tornará o primeiro alimento que o filhote recebe.

Características do pinguim-imperador, reprodução, incubação, habitat

A partir deste momento, os filhotes ficarão a cargo da mãe e o pai se mudará para o mar para se alimentar.

O berçário do pinguim imperador

Quando os filhotes de toda a colônia têm cerca de 45 a 50 dias, eles se agrupam e se amontoam, numa espécie de berçário, para se proteger do frio e dos ataques de predadores. Enquanto isso, macho e fêmea vão ao mar em busca de comida e retornam periodicamente para alimentar seus filhotes. A porcentagem de mortalidade da prole durante este período é muito alta, mas quando atingem 2 anos de idade, a taxa de sobrevivência ultrapassa os 95%.

No mês de novembro, os pinguins jovens começam a trocar sua plumagem original para aquela que será a definitiva, durante esse processo os pais param de alimentá-los e os pinguins saem da colônia para começar a se alimentar sozinhos.

Os sons harmoniosos do pinguim imperador

Esta espécie de pinguins é única pela sua forma de vocalizar. Os sons emitidos pelo pinguim imperador são produzidos em 2 bandas de frequência, com seus respectivos harmônicos. Com eles, esses animais transmitem todo tipo de informação para o resto da colônia e, em particular, para a fêmea com quem acasalaram.

caio carbonaro

Sobre Caio A Carbonaro Guerreiro

Caio A. Carbonaro Guerreiro é um renomado biólogo da Universidade de Santo Amaro, com vasta experiência e profundo conhecimento em seu campo. Ao longo de anos de dedicação, ele se destacou em pesquisas e projetos que contribuíram significativamente para a compreensão da biodiversidade e conservação ambiental. Sua paixão pela natureza e seu compromisso com a preservação a tornam uma referência respeitada, e seu trabalho tem um impacto duradouro na proteção dos ecossistemas e na educação ambiental.