Home » Animais » Quanto tempo as andorinhas vivem

Quanto tempo as andorinhas vivem

A andorinha é um tipo bastante pequeno de pássaro que se enquadra na categoria de aves migratórias. Sua expectativa máxima de vida é de 5 anos.

Quanto tempo as andorinhas vivem

Quanto tempo as andorinhas vivem

Quanto tempo as andorinhas vivem na natureza

Em condições de liberdade, as andorinhas estão mais expostas à vida por um tempo menos de 5 anos. Isso porque eles têm uma grande variedade de predadores: raposas, falcões, corujas, gaivotas e gatos são alguns deles.

Nessas condições, eles podem viver em média 3 anos, se tiverem sorte de não serem devorados antes.

Quanto tempo as andorinhas vivem em cativeiro

Já em cativeiro, uma andorinha poderia atingir a idade de 5 anos, ou até um pouco mais.

Onde as andorinhas vivem

A andorinha é um pássaro que está localizado globalmente. Atualmente vivem em florestas e até mesmo no menor pensamento de locais, pois podem criar seus ninhos. em uma árvore ou em uma oca sob um teto. Atualmente se sabe que existem seis subespécies de andorinhas.

O que as andorinhas comem

Andorinhas têm um dieta que se concentra em insetos e pequenos animais, como gafanhotos, moscas, mosquitos, borboletas e libélulas, entre outros. Sendo um alto consumidor deste tipo de espécie, os agricultores valorizam-nas por ser eficaz na erradicação de pragas.

Espécies mais conhecidas de andorinhas

Golongrina comum ou andorina (Hirundo rustica)

É uma ave bastante comum na Europa, assim como na Ásia Menor, embora geralmente viaje muito para a região sul da África. Caracteriza-se por ter no peito uma faixa de cor muito perceptível. Há rosados, creme e andorinhas brancas sujas.

  1. H.r. transitivo

A primeira vez que esse tipo de andorinha foi documentada foi em 1910, por Ernst Hartert. É um pássaro muito comum no Oriente Médio, Turquia e Israel. Distingue-se por apresentar cores vermelha e laranja, também ter uma tira no peito que tende a quebrar.

  1. H.r. savignii

Foi documentado pela primeira vez por James Francis Stephens, em 1817. Como o anterior, sua plumagem brinca com nuances vermelhas e laranjas. Geralmente vive muito na área do Egito.

Quão altas são as andorinhas

Eles têm uma medida que vai de 17 a 20 centímetros de comprimento. Apenas as penas de sua cauda já medem entre 8 e 13 centímetros.

Quanta andorinha pesa

Eles geralmente pesam entre 15 e 25 gramas.

Reprodução e ciclo de vida de andorinhas

Depois de migrar, as andorinhas retornam ao seu ninho por volta de meados de abril. O macho geralmente se reúne com a mesma fêmea com quem ele acasalou no ano anterior. Esse ninho é geralmente dotado dentro com penas.

Quanto tempo as andorinhas vivem

De maio a agosto começa a reprodução. Durante esse período ocorrem duas incubações, uma vez que a gestação dos ovos (que geralmente são de 4 a 5) dura entre 14 e 16 dias. Os filhotes ficam no ninho por um máximo de 22 dias. Eles começarão a se defender, mesmo que ainda recebam a atenção de seus pais.

Depois disso, os pais eles descansam por cerca de 14 dias e começam uma nova fase de gestação.

Curiosidades de andorinhas

A boa memória das andorinhas

Como cegonhas, as andorinhas têm um excelente memória. É por isso que eles se lembram do lugar exato onde o ninho que eles constroem está localizado.

Interpretando os sons das andorinhas

Se a andorinha emite um “tweet-tweet”, é porque está fazendo um aviso de perigo. Se em vez disso ele cantar um “psilii”, isso é porque ele é alegre.

Paixão pelo voo das andorinhas

É considerado o pássaro que mais gosta de ficar em voo.

Acasalamento aéreo

Sim, embora seja difícil de acreditar, eles gostam de acasalar no meio do voo, usando o ar como um espaço para dançar e diversão.

Os ninhos de lama de andorinhas

Andorinhas geralmente fazem ninhos de lama. Para isso, eles podem fazer até 1.000 viagens coletando tudo o que for necessário para alcançá-lo.

caio carbonaro

Sobre Caio A Carbonaro Guerreiro

Caio A. Carbonaro Guerreiro é um renomado biólogo da Universidade de Santo Amaro, com vasta experiência e profundo conhecimento em seu campo. Ao longo de anos de dedicação, ele se destacou em pesquisas e projetos que contribuíram significativamente para a compreensão da biodiversidade e conservação ambiental. Sua paixão pela natureza e seu compromisso com a preservação a tornam uma referência respeitada, e seu trabalho tem um impacto duradouro na proteção dos ecossistemas e na educação ambiental.