Home » Saúde e Beleza » Propriedades medicinais e benefícios naturais do Bistorta

Propriedades medicinais e benefícios naturais do Bistorta

Uma nova planta medicinal, pouco utilizada, para nossa lista de remédios naturais ao nosso alcance. Falamos sobre o planta de bistorta cujo nome científico é Polygonum bistorta.

O bistorta é facilmente reconhecível se sua morfologia e tipo de floração forem conhecidos, mas é facilmente confundida com qualquer tipo de grama se sua existência for desconhecida.

Esta planta, de 20 a 60 cm de altura, com folhas verde-escuras (que podem ter motivos azuis escuros) e flores pequenas e rosadas muito atraentes, cresce espontaneamente em prados, margens de rios e estradas e zonas com elevada concentração de humidade.

Ter vários nomes tradicionais dependendo da área onde estamos. Na língua espanhola, o termo mais estabelecido é bistorta, mas existem variáveis ​​como as seguintes:

  • bistor menor
  • salpico torcido
  • vorme propenso
  • solda vermelha

Apesar de Polygonum bistorta Possui grande potencial como planta medicinal, não existem muitas referências para sua identificação e uso, visto que atualmente não é muito utilizada.

Dentro deste gênero também podemos encontrar outras plantas com diferentes nomes científicos e, em muitos casos, com diferentes remédios curativos.

Gênero Bistorta

  • bistor de penas (Pequeno) Verde
  • bistortóide (Empurre) Pequeno
  • bistorte vivíparo (Linnaeus) Delarbre
  • Bistorta officinalis delarbre

floração da planta bistort

Componentes e partes usadas da planta

A Bistorta é uma planta que se destaca preferencialmente pelo seu alto teor de taninos, tornando-se um erva medicinal altamente adstringente.

Vários compostos de tanino, totalizando 3% na planta, foram identificados a partir do pirogalol, mas outros elementos também estão presentes:

  • Flavonóides
  • sais de ferro
  • Vitamina C
  • Amido
  • ácido gálico
  • Ácido oxálico

Devido ao seu alto teor de ferro é uma planta perfeitamente indicada para tratar processos de anemia, sozinha ou misturada com outras plantas medicinais que tenham o mesmo benefício.

Como não costuma acontecer em muitas outras plantas, Polygonum bistorta Costuma-se utilizar apenas o rizoma (caule subterrâneo), embora por vezes também se extraiam as folhas, ricas em taninos.

Quanto mais velha a planta, maiores concentrações desses compostos ela possui, principalmente no que diz respeito à taninos gálicos que pode atingir valores elevados (superiores a 10%).

Características agronômicas de Polygonum bistorta

Planta e folhas de Bistort

Diferentes áreas foram identificadas onde esta planta cresce selvagem. É praticamente espalhados por vários continentes, e sua presença é totalmente estendida em todo o mundo. Europa, Ásia e América do Norte possuem o grupo de plantas que compõem o gênero bistorta distribuído por todo o seu território.

Em Espanha, é mais fácil encontrá-lo no Sistema Ibérico Central, na Cordilheira Cantábrica e nos Pirinéus, pois tem uma faixa de altitude entre 800 e 2500 m.

Informações sobre sua safra

É uma espécie completamente rústica, que cresce em áreas úmidas como pastagens e regiões de alta pluviosidade. Pode atingir um metro de altura se a porcentagem de matéria orgânica no solo for boa (superior a 1,5%).

Geralmente cresce em plena luz, sem sombras, embora se adapte rapidamente às novas condições. Presente em solos considerados pobres ou pouco férteis, prefere desenvolver-se em solos ligeiramente ácidos.

Para seu maior crescimento, prefere solos que retenham bem a umidade ou tenham chuva suficiente.

No entanto, uma maior presença de seus compostos foi detectada quanto menos água é adicionada.

A sua floração ocorre de Maio a Agosto, embora neste caso o interesse medicinal resida na composição de seu rizoma.

A partir do outono é quando começa a seleção desses rizomas, antes da secagem. Eles são limpos de sujeira e deixados para secar ao sol (ou em uma secadora). Suas propriedades são bem preservadas se a bistorta for armazenada em local correto, seco e bem ventilado.

Propagação

As sementes coletadas após a floração são armazenadas em um ambiente fresco e escuro. Na primavera, com a melhora das temperaturas, é plantado direto no chão ou vaso.

Sua germinação costuma ser rápida e eficaz e não deve nos causar problemas, pois é capaz de crescer em ambientes hostis com a simples propagação de suas sementes pelo vento.

A planta também pode ser dividida, uma vez em estado adulto, em plantas menores, separando as radículas. Essas novas mudas serão separadas da mãe e plantadas no final da primavera ou início do verão.

Propriedades medicinais do Bistorta

As propriedades medicinais da bistorta são determinadas pela alta concentração de taninos em sua raiz, que pode atingir, nas melhores condições, até 21% de concentração.

A parte aérea da planta utilizada, as folhas, possuem alto teor de vitaminas (A e C) e ferro, por isso são utilizadas como estimulante nutricional e corrigir a anemia.

Referimo-nos agora aos benefícios que tradicionalmente são colhidos desta planta. Já no tempo de Carlos Magno a bistorta era conhecida por curar feridas e parar a diarreia.

Embora já tenhamos mencionado um deles (devido à sua alta presença de taninos), este seria o resumo das propriedades medicinais da bistorta:

  • Devido à sua grande adstringência, pode ser usado para combater a diarreia.
  • Favorece o cicatrização de feridas graças aos seus compostos anti-inflamatórios.
  • É usado como tônico restaurador.
  • Para o tratamento de hemorróidas.
  • Inflamações na faringe como gargarejos e lavagens.
  • Para aliviar a gengivite e sangramento nas gengivas.

Definição de propriedade

  • Adstringente
  • Demulcente
  • Diurético
  • Febrífugo
  • Laxante
  • Hemostático

Pela sua composição, detém o ranking de um dos plantas medicinais mais adstringentes por isso atua de forma eficaz na cicatrização e cicatrização de feridas, chagas e queimaduras.

Colutório contra a gengivite

Polygonum bistorta Tem uma grande capacidade de curar feridas, de modo que podem ser feitos bochechos eficazes.

Para isso, é necessário ferver por 4 ou 5 minutos 2 colheres de café do rizoma da planta por meio litro de água e depois levar para descansar.

Essa quantidade permite que você faça várias lavagens diárias que acelerarão a cicatrização de feridas e eczemas.

Parar a diarreia

É uma das propriedades mais conhecidas e utilizadas atualmente, devido à alta concentração de taninos e sua capacidade adstringente.

Para preparar o extrato líquido de bistorta e aproveitar esse remédio, usaremos 10 gramas de bistorta, que podemos misturar com outras plantas medicinais que agem da mesma forma (marshmallow, por exemplo).

aproximadamente meio litro de água é fervido incorporando os 10 gramas de bistorta e deixe repousar.

Desta preparação não tomaremos infusão, mas apenas várias (3 a 5) colheres de sopa da calda distribuídas durante o dia.

À medida que a diarreia progride, continuaremos a tomar uma dose maior ou menor.

Fraqueza e anemia

A anemia é um problema comum em todos os tipos de pessoas, especialmente em mulheres menstruadas.

A bistorta pode ser usada como um poderoso restaurador graças à alta quantidade de vitaminas e ferro que suas folhas possuem.

Para fazer isso, teremos que fazer uma decocção fácil usando 1 colher de sopa de folhas esmagadas por xícara, tomando duas vezes ao dia antes das refeições.

rizoma de bistort

Anti-inflamatório

Alguns das compostas bistorta têm um certo ação anti-inflamatória.

Usaremos 15 gramas de bistorta em decocção para cada meio litro de água, aplicado com um pano ou gaze sobre a parte dolorida ou feridas.

Remédios caseiros com bistorta

Embora a maneira mais fácil de preparar o extrato ou infusão de bistort é através de sua decocção, existem também outras formas de aplicação, tanto de uso externo quanto interno.

  • Pó de rizoma que pode ser tomado através de cápsulas
  • Fazendo um extrato concentrado para aplicações externas em feridas, queimaduras ou eczema.
  • Em banhos com extrato puro, como poderoso anti-inflamatório
  • Com colutórios, para prevenir e curar aftas e feridas.

Como administrar e dosar

Muitas vezes, a infusão de bistorta não é usada apenas para corrigir problemas gastrointestinais, como diarreia, mas também pode ser usada gargarejar em infecções orais (gengivite e outras).

Também pode ser combinado com outras plantas utilizadas para o mesmo fim, como extrato de tomilho.

Tanto para a infusão quanto para o gargarejo, use entre 1 e 2 gramas de raiz de bistorta seca para cada xícara de chá.

O extrato puro da planta pode ser adquirido em estabelecimentos comerciais e comprado online:

Contra-indicações identificadas

A bistorta é uma planta medicinal limitante para quem sofre de azia e tem estômago sensível.

Isso se deve ao seu alta adstringência que pode causar problemas gastrointestinais.

Seu uso não é recomendado em pessoas grávidas ou lactantes.

isabella carolina

Sobre Isabella Carolina

Isabella Carolina é uma especialista em saúde e beleza com treinamento na Europa. Com uma abordagem refinada e inovadora, ela combina o conhecimento europeu de bem-estar e estética com as mais recentes tendências globais. Sua expertise se reflete em tratamentos personalizados que promovem a saúde e realçam a beleza, cativando seus clientes. Isabella é uma profissional comprometida em elevar os padrões de cuidados com a saúde e a estética, tornando-a uma referência respeitada no campo. Seu treinamento europeu adiciona um toque sofisticado e contemporâneo aos seus serviços, criando experiências únicas para aqueles que buscam o melhor em beleza e bem-estar.