Home » Frutas » A amora, da floresta para o seu jardim

A amora, da floresta para o seu jardim

  • Nome científico: Rubus ulmifolius
  • Família: rosácea
  • Fonte: Eurásia
  • Clima: Temperado
  • Dificuldade de cultivo: Fácil
  • Bons vizinhos: Videira, aspargos, urtiga, dente de leão, confrei
  • maus vizinhos: Chayotera

Características da planta de amora

A amora, nome científico rubus ulmifolius, pertence à família Rosaceae, podendo atingir entre 1 e 4 metros de altura. Muitas vezes é confundida com a amoreira, embora pertençam a espécies diferentes. Seu fruto é menor e mais redondo que o da amora.

Fatos divertidos

A amora é conhecida como polidrupa, porque na verdade são formados por pequenos frutos agrupados em um cacho. Cada um deles contém uma semente.

Como é a amora

A amora-preta forma um arbusto com galhos pendentes ou cresce como uma videira se encontrar um tutor, razão pela qual é frequentemente usada como quebra-vento. É considerada uma planta invasora, pela facilidade com que forma raízes em seus caules e gera novas plantas.
Suas folhas são escuras, serrilhadas e suas flores são pequenas, brancas ou rosadas. Seu fruto é roxo escuro ou quase preto com um delicioso sabor doce e um tanto ácido. Pode ter espinhos, dependendo da espécie, e suas raízes são rasas.

Fatos divertidos

Mais de 2.200 espécies do gênero rubus foram descritas, embora apenas cerca de 300 tenham sido aceitas.

Propriedades e benefícios da amora

Amoras têm muitas vitaminas e minerais

Tanto o fruto quanto as folhas da amora possuem propriedades importantes que beneficiam nossa saúde. As frutas costumam acompanhar iogurtes, cremes ou sorvetes, ou tomá-las em sucos e smoothies. Com suas folhas é feito um chá que tem importantes usos medicinais.
As propriedades nutricionais da amora são as seguintes:

  • Vitaminas: C, K, E e A
  • Minerais: cobre, cálcio, ferro, fósforo, magnésio, potássio
  • Fibra
  • Tiamina
  • Colina
  • Luteína-zeaxantina

Benefícios para a saúde da amora

Os frutos de amora, além de muito saborosos, possuem importantes propriedades nutricionais que nos ajudam a manter uma boa saúde:

  • Hidrata, pois possui 82% de água.
  • É um antioxidante: ajuda a eliminar os radicais livres.
  • É anti-inflamatório.
  • Fortalece as defesas naturais do organismo.
  • Ajuda a manter níveis saudáveis ​​de colesterol.
  • Favorece a atividade dos neurônios e as funções do cérebro.
  • Ajuda a manter uma boa visão.
  • Promove o crescimento dos ossos e músculos e a renovação celular.
  • Regula o metabolismo e ajuda a prevenir a constipação.

O fruto da amora não tem contraindicações, embora também não deva ser consumido em excesso, pois pode causar indigestão.

As propriedades das folhas de amora

As folhas de amora têm sido tradicionalmente usadas para fazer preparações medicinais. O chá de amora é usado para aliviar cólicas menstruais e tratar diarréia e herpes. Usado topicamente, é muito útil para curar feridas na pele e promover a cicatrização.
Também é frequentemente usado para gargarejar e aliviar dores de garganta, faringite, feridas e gengivite.

Como fazer chá de folhas de amora

É muito simples! Basta colocar uma colher de sopa de folhas secas de amora em uma xícara de água fervente, deixar repousar por 10 minutos e coar. Em caso de herpes ou diarreia, você pode beber até duas xícaras por dia. Mas não é recomendado que você beba este chá durante a gravidez.

Amora e amora: como diferenciá-los

A amora e a amora, embora sejam muito semelhantes, são frutos silvestres que pertencem a diferentes gêneros vegetais: a amora é uma árvore que pertence ao gênero morus e a amora é um arbusto do gênero robus.
O fruto da amoreira é mais alongado e de cor vermelha ou roxa, enquanto o fruto da amora é mais arredondado e de cor roxa mais escura. Além disso, a amora é menor e mais parecida com a framboesa, que também pertence ao gênero rubus.

A amora é muitas vezes chamada de “amora silvestre”.

Como cultivar amora em casa

É muito fácil cultivar amora, pois pode se adaptar a diferentes climas e condições do solo. É considerada uma planta invasora, devido à sua capacidade de produzir raízes em seus caules e gerar novas plantas ao seu redor muito rapidamente.

O que a planta de amora precisa?

Para crescer saudável e forte, a amora precisa de:

  • Solos bem drenados e adubados com composto ou húmus.
  • Clima temperado, embora algumas variedades sejam mais resistentes ao clima quente e outras melhores ao frio. Além disso, sua fruta precisa de um pouco de frio para atingir seu ponto ideal, como as uvas.
  • Regar com pouca água: a amora tem raízes rasas, por isso não é necessário regá-la com muita água. Algumas espécies são tolerantes à seca, mas é melhor regá-las com frequência quando estão produzindo seus frutos.

Cultivo de amora

A maneira mais fácil de cultivar amora é a partir de estacas ou camadas do solo, embora você também possa plantá-la usando as sementes encontradas em seus frutos.

Como crescer amora a partir de estacas

O procedimento para reproduzir amoras usando estacas é o mesmo que para outras plantas.
Basta cortar um ramo de amoreira com cerca de 30 cm de comprimento, escolhendo um que pareça vigoroso e jovem, e retirar a maior parte das folhas. Em seguida, plante-a em um substrato fertilizado com composto ou húmus e regue-a periodicamente.

Como reproduzir amora por camadas de solo

Este método é semelhante à reprodução de estacas, mas sem cortar o galho da planta.
Escolha um galho que fique pendurado no chão. Você deve ancorá-lo ao chão, colocando uma pedra em cima dele. Além disso, você deve soltar um pouco o solo abaixo, para que as raízes cresçam sem obstáculos.

Como semear amora a partir da semente

Embora você possa comprar sementes de amora, é comum extrair as sementes de seu fruto. Antes de semeá-los, você deve secá-los. Para fazer isso, descasque uma fruta grande da planta em uma panela de terra seca e cubra-a, mas não com força.
Quando as sementes estiverem secas, semeie-as e regue sem inundar. As plantas pequenas vão brotar em cerca de 3 semanas, sendo 20°C a temperatura mais adequada para a germinação.

Como cuidar da sua planta de amora

A amora não é uma planta muito exigente, mas é importante que você leve em consideração os cuidados que a amora precisa.
Antes de tudo, tente controlar seu crescimento, especialmente se você o cultivar no jardim, ou em breve terá plantas de amora por todo o jardim. Por esse motivo, muitas pessoas preferem cultivar amoras em vasos.

A importância de podar a amora

A amora cresce rapidamente e, como seus ramos são finos e flexíveis, tendem a se emaranhar. Portanto, se você não podar sua planta, será muito difícil colher seus frutos, principalmente se você cultivar uma espécie com espinhos. Idealmente, você deve usar estacas para orientar o crescimento de sua amora.
Além disso, uma vez que dá frutos, os ramos da amora começam a secar, então você deve podá-los após a colheita. Desta forma você estará promovendo uma maior produção de frutas.
Lembrar:

  • Regas curtas, mais frequentes na frutificação.
  • Podar após a colheita.
  • Use tutores para orientar seu crescimento.
  • Monitore sua reprodução nos arredores.

Pragas e doenças comuns de amora

Além dos cuidados que mencionamos na seção anterior, é importante que você saiba como combater as pragas mais comuns que podem afetar sua planta de amora e detectar qualquer sinal de que ela esteja sofrendo de uma doença, para que você possa tratar eles a tempo.

As pragas de amora mais comuns

  • o mosca da fruta e larva É uma das pragas que mais podem afetar nossa colheita de amora. A mosca, além de se alimentar de seus frutos, deixa suas larvas dentro deles, então não podíamos mais comê-los.

A forma de combater esses insetos é colocando armadilhas à base de água com um pouco de cidra, vinagre de maçã, mel ou vinho. Faça esta mistura em um copo e adicione açúcar e sabão branco. Cubra com filme plástico e faça pequenos buracos para as moscas entrarem.

  • pulgões e tripes: são outras pragas comuns de amora. Um remédio muito eficaz contra esses insetos é borrifar um inseticida de alho, cavalinha ou óleo de nim + sabão de potássio. Apenas lembre-se de pulverizar a planta à noite, quando o sol não está muito forte.

Doenças comuns de plantas de amora

A amora pode ser atacada por fungos que podem enfraquecê-la gradativamente, interromper seu crescimento ou prejudicar a colheita do fruto.

  • ferrugem da folha: este fungo causa pequenas e numerosas manchas alaranjadas nas folhas, que podem cobrir toda a planta. Para combatê-lo, retire as folhas afetadas e pulverize a planta com um fungicida feito com 2 partes de leite, 8 partes de água e uma colher de bicarbonato de sódio.
  • Botrytis cinerea: provoca o aparecimento de mofo branco e podridão nos frutos. A solução é remover os frutos infectados e pulverizar a planta com o fungicida do leite.
  • podridão da raiz: Você notará que a planta não cresce e que suas folhas ficam amarelas. Você pode tentar transplantar a amora para um solo novo e fértil, primeiro pulverizando as raízes com um fungicida orgânico.

Para evitar o aparecimento desses e de outros fungos, é importante certificar-se de que o solo tenha boa drenagem e que não molhe a folhagem, para evitar excesso de umidade na planta. Além disso, evite plantar amoras onde uma planta afetada por fungos já viveu.

Tipos e variedades de amora

Existem muitos tipos e variedades de amora, que diferem no tempo de maturação dos frutos, época de plantio, maior resistência ao calor e presença ou ausência de espinhos, entre outros motivos.
As amoras sem espinhos são muitas vezes preferidas porque são mais fáceis de manusear, mas as espécies mais populares por seu sabor têm espinhos.
As variedades de amora mais conhecidas são:

  • Amora silvestre ou comum: Rubus Ulmifolius É a espécie mais cultivada devido ao seu sabor intenso e doce, e ligeiramente ácido. Tem espinhos.
  • amora do pântano: é menor que a amora-preta comum e geralmente cresce em terreno úmido. Suporta o frio mais do que outras espécies, mas não suporta a seca. O fruto é amarelo dourado.
  • amora pretas: cresce mais próximo do solo e possui espinhos menores que outras espécies. Seu fruto tem grãos menores e maiores, e são cobertos com uma espécie de cera.
  • Blackberry Logan: R. loganobaccus É uma espécie híbrida entre a amora e a framboesa. Sua forma é semelhante à da amora e sua cor é avermelhada escura.

Perguntas frequentes

Qual é a diferença entre amora e amora?

A amora e a amora pertencem a diferentes gêneros de plantas: morus S rubus, respectivamente. O fruto da amora é maior e oval, de cor vermelha ou roxa, e o fruto da amora é menor, esférico e de cor roxa ou quase preta.

Quais são os benefícios da amora?

As amoras são ricas em vitaminas C, K e E e minerais como ferro, cálcio, magnésio e cobre. É antioxidante, anti-inflamatório, antimicrobiano, ajuda a controlar o colesterol e a pressão alta, promove a atividade cerebral e ajuda a melhorar o humor.

Qual é o nome do arbusto que dá amoras?

O arbusto que produz amoras tem o mesmo nome do fruto: amora, nome científico rubus ulmifolius. É uma planta arbustiva perene que se espalha com muita facilidade, pois produz raízes em seus caules. Seus frutos são muito nutritivos e suas folhas também são utilizadas em chás e preparações medicinais.

Como é a planta de amora?

A amora-preta é um arbusto perene com caules longos e flexíveis, que também podem crescer como uma videira se encontrar algo para se agarrar. Suas folhas são verde-escuras com bordas serrilhadas e seus frutos são redondos e roxo-escuros. Suas flores são pequenas, brancas ou rosadas.

sergio koifman

Sobre Sergio Koifman

Sergio Koifman é um renomado biólogo com mais de duas décadas de experiência dedicadas à pesquisa e ao entendimento dos ecossistemas naturais. Seu extenso histórico inclui estudos aprofundados sobre a biodiversidade, conservação e sustentabilidade ambiental. Ao longo de sua carreira, Sergio desempenhou um papel fundamental na preservação da vida selvagem e na promoção de práticas sustentáveis. Sua paixão e compromisso em relação à natureza o tornam uma autoridade respeitada na comunidade científica e um defensor incansável da proteção ambiental. Seu trabalho tem um impacto duradouro na preservação dos ecossistemas e na conscientização ambiental.