Home » Frutas » Limão persa, o limão verde sem sementes

Limão persa, o limão verde sem sementes

  • Nome científico: Cítrico × latifolia
  • Produção: especialmente no Golfo do México
  • Exportação: 91% é exportado do México para os Estados Unidos.

Limão persa, limão mexicano e limão italiano

Características gerais

O limão persa é um dos principais limões produzidos no México devido ao seu tamanho maior e sabor ácido. Essas características o tornam muito demandado e que a maioria de sua produção é para exportação. Também é conhecido como limão taiti, persa ou sem sementes. Ele se assemelha ao limão mexicano, mas é maior e não tem sementes.
Neste vídeo você pode encontrar mais informações sobre as características e propriedades do limão persa:

Características do limoeiro persa

O limoeiro persa é médio a grande e pode chegar a 6 metros. É uma árvore frondosa e forte, e seus galhos têm poucos espinhos. As filmagens são roxas ao nascer e depois ficam verdes. Esta árvore tem pequenas flores brancas. Tem folhas largas e frutas ovais com ponta arredondada. As frutas são verdes e quando maduras são amarelo pálido. Sua polpa, menos ácida que a do limão mexicano, é amarela esverdeada e não tem sementes.

Que clima o limão persa precisa?

Esta árvore precisa de climas tropicais e subtropicais. A temperatura ideal varia de 25 ° C a 31 ° C. Pode suportar até 18 ° C, mas temperaturas mais baixas danificam-na, fazendo com que seus frutos caiam ou parem seu crescimento. Da mesma forma que a temperatura, a exposição ao sol é muito importante e determina o sabor, cor e quantidade de frutas produzidas.

Chuva e rega adequadas para limão persa

A quantidade ideal de chuva para a produção de limões persas é entre 400 e 1200 mm por ano. Esta árvore pode suportar o déficit hídrico e, de fato, os tempos de pouca chuva são benéficos, pois estimulam a floração desta planta. Por outro lado, a umidade não é algo que o limão suporta: é preferível semear em áreas secas e rega-la do que semeá-la em áreas úmidas, já que o excesso de água gera doenças neste cítrico.

Vento adequado para o cultivo de limão persa

Essas árvores são muito frondosas e geram muitas folhas, então ventos de mais de 20 km/h podem causar a queda das folhas e afetar o limão. Os ventos também fazem com que as flores caiam, diminuindo a produção subsequente de frutas e que elas se esfregam contra os galhos e se deformam. Se você quer produzir em espaços com muito vento, é recomendável colocar cortinas de vento para protegê-lo.

Que tipo de solo o limão persa precisa?

Como o resto das limoeiros, a cultura de limão persa precisa de um solo com um pH entre 6,5 e 7. O solo precisa ser nutrido com fertilizante ou adubo para fornecer nutrientes como potássio, ferro, nitrogênio e cálcio. É importante que seja um terreno com boa drenagem, por isso é recomendável adicionar um pouco de areia a ele. A profundidade adequada do solo é de mais de 60 cm.

Perguntas frequentes

Quanto tempo leva para produzir limão persa?

Nas condições certas de temperatura, umidade, vento e solo, o limão persa começa a dar frutos após 5 anos de plantio. No caso de enxertos pode começar a dar frutos depois de 2 anos.

Como é produzido o limão persa?

O limão persa se desenvolve corretamente em solos de pH entre 6,5 e 7, com baixo teor de sal, muito nutrido e com boa drenagem. Prefere áreas secas a úmidas, embora precise de rega uma vez por semana.

Quantas vezes por ano o limão persa dá frutos?

Em geral, a produção de frutas de limão persa é 3 vezes por ano, embora em condições climáticas e ideais possa produzir frutas 4 vezes por ano, nas 4 estações.

Qual é o limão mais suculento?

Dentro de limões verdes ou limão, o limão persa é um dos mais suculentos, embora seja menos suculento do que alguns limões amarelos, como limão fino ou Primofiori. Este limão é ácido e sua polpa é muito rendendo e suculento.

sergio koifman

Sobre Sergio Koifman

Sergio Koifman é um renomado biólogo com mais de duas décadas de experiência dedicadas à pesquisa e ao entendimento dos ecossistemas naturais. Seu extenso histórico inclui estudos aprofundados sobre a biodiversidade, conservação e sustentabilidade ambiental. Ao longo de sua carreira, Sergio desempenhou um papel fundamental na preservação da vida selvagem e na promoção de práticas sustentáveis. Sua paixão e compromisso em relação à natureza o tornam uma autoridade respeitada na comunidade científica e um defensor incansável da proteção ambiental. Seu trabalho tem um impacto duradouro na preservação dos ecossistemas e na conscientização ambiental.