Home » Frutas » O mundo das romãzeiras

O mundo das romãzeiras

  • Nome científico: Punica granatum
  • Família: Lythraceae
  • Origem: Sul da Ásia
  • O clima: Tropical ou semidesértico.
  • Características da planta: árvore decídua, com muitos ramos, grandes flores e frutos ricos.
  • Principais propriedades: Antioxidante, antidiarréico, adstringente, anti-inflamatório.
  • Usos: Alimentos, cosméticos, remédios e decoração.

Características

A romãzeira é um arbusto decíduo, ou seja, perde suas folhas em certas épocas do ano, geralmente no início ou no meio do outono. Antes de cair, suas folhas adquirem uma bela cor amarela, depois caem e em pouco tempo novas folhas nascem e ela se torna cheia de vida novamente.

Este arbusto pode florescer até 2 vezes por ano. As flores da romãzeira são lindas, grandes e de cor laranja vermelha brilhante, embora outras cores também possam ser encontradas, mas estas são as mais comuns. Imediatamente após a floração, a romãzeira nos surpreende com deliciosos frutos de romã que podem ser colheitos semanas depois.

Fatos curiosos

A romãzeira pode ter flores estéreis ou incompletas, são flores que não têm ovários e, como não podem ser polinizadas, acabam no chão sem atingir seu tamanho completo.

Propriedades e benefícios

A romã e a romã são uma fonte de vitaminas e minerais que quando consumidas proporcionam muitos benefícios ao organismo, pois contêm antioxidantes, anti-inflamatórios, antidiarréicos, anti-sépticos, diuréticos e mais propriedades que são capazes de aliviar problemas de saúde, tais como:

  • Alivia problemas digestivos e intestinais
  • Ajuda a controlar a diarréia
  • Ajuda na expulsão de parasitas
  • Alivia os sintomas de artrite
  • Ajuda a prevenir doenças cardíacas
  • Ajuda a controlar a alta pressão arterial
  • Melhora o sistema imunológico
  • Melhora a aparência da pele
  • Promove a perda de memória, entre outras coisas.

Fatos divertidos

O que contém a romãzeira? A romã é rica em vitaminas A, B12, C, E, D, K, cálcio, ferro, magnésio, fósforo, potássio, sódio, zinco, manganês, selênio, riboflavina e ácido fólico.

Romã e medicina natural

Tanto a fruta inteira (casca, polpa e sementes) quanto a romãzeira têm usos importantes na medicina natural, para fazer medicamentos como xaropes para tosse medicinal, chás para aliviar problemas intestinais ou fortalecer o sistema imunológico, extratos, infusões, tratamentos cosméticos para o rosto, cabelo, pele e muito mais.

Entretanto, tenha cuidado com o consumo excessivo de romã, pois pode causar algumas contra-indicações, como a diminuição da pressão arterial ou causar tonturas, pois a romã também contém alcalóides.

Como comer romã

Você pode comer a romã diretamente da árvore, prepará-la em suco, fazer chá e infusões ou preparar deliciosas receitas. Basta cortá-la ao meio, obter a polpa e prepará-la para desfrutar de seu delicioso sabor. Você também pode preparar um suco rico e refrescante, nós lhe dizemos como prepará-lo:

  1. Pegue algumas romãs frescas de seu jardim e corte-as ao meio.
  2. Depois, use um espremedor de laranja e esprema cada metade da romã como se faz com laranjas e limões para extrair o suco.
  3. Dado que você tenha extraído tanto suco quanto quiser, proceda a coar para separar o suco dos restos das sementes.
  4. E pronto, você pode adicionar alguns cubos de gelo ou açúcar se desejar e desfrutar de seu suco de romã.

Origem e história

A romã teve suas origens mais antigas no continente asiático, desde o Irã até os Himalaias, e sabe-se que a romã é cultivada desde 2500 a.C. e que, como resultado das Guerras Púnicas, chegou ao Mediterrâneo, de onde o nome Punica Granatum é originário. Muitos anos mais tarde, a romã chegou à Espanha e, após a conquista, seu cultivo se espalhou pela América.

Atualmente, o cultivo de romãs tomou conta de muitos países na América, Ásia e Europa e atualmente os principais produtores de romãs são Irã, Estados Unidos e China, Índia e Israel.

Cultivo

A romãzeira é um arbusto ideal para crescer em casa, você pode cultivá-la para decorar seu jardim, para obter seus frutos e até mesmo para começar no mundo do bonsai, a romãzeira bonsai é uma excelente opção para começar. Aqui lhe dizemos como plantar e cultivar sua primeira romãzeira em casa.

Plantação de romãzeiras

A romãzeira pode ser semeada de duas maneiras: uma delas é por sementes e a outra por estacas. Para semear por estacas, convidamos você a ler o artigo sobre estacas de romã clicando aqui e para semear por sementes, você deve seguir os seguintes passos:

  1. Pegue uma romãzeira fresca, corte-a ao meio e descasque-a.
  2. Com a ajuda de um coador e água você procederá para remover toda a polpa que cobre as sementes, não deixe nenhum resquício de polpa, pois eles podem mais tarde produzir fungos.
  3. Uma vez que as sementes estejam completamente limpas, deixá-las secar por alguns dias.
  4. Quando as sementes estiverem prontas, coloque-as em uma tigela em um guardanapo absorvente, depois umedeça-as e cubra-as com outro guardanapo, que também deve ser umedecido.
  5. Deve-se manter as sementes úmidas durante os próximos dias até que comecem a germinar.
  6. Quando as sementes tiverem germinado, você vai preparar em um vaso algum solo fértil com adubo e esterco animal seco como fertilizante natural e vai colocar as sementes na superfície cobrindo-as com uma camada muito fina de substrato e deixando a lâmina germinada descoberta.
  7. Finalmente, você rega com muito cuidado para não mover as sementes.
  8. É muito importante manter a umidade durante as semanas seguintes.

Cuidados com a colheita

Luz e localização: A luz solar é muito importante para o cultivo da romã, por isso é muito importante localizá-la em um lugar onde possa receber luz solar direta por pelo menos 6 horas por dia. Você pode colocar sua cultura em um jardim ou em uma varanda se você mora em um prédio.

Fatos divertidos

Embora o clima ideal para o cultivo de romãs esteja entre 20° e 26° C, ele também pode suportar temperaturas abaixo de 0° C, mas é importante protegê-lo da geada e de ventos fortes.

Rega: No início da semeadura deve o solo seja mantido úmido, após alguns meses o ideal é regular a rega, até atingir uma frequência moderada, permitindo que o solo seque entre uma rega e outra.

Fertilização e poda: É importante manter o solo fertilizado com nutrientes como fósforo e potássio, muito necessários para o cultivo da romãzeira. Para fertilizar, podemos misturar solo solto com um pouco de esterco animal seco, borras de café ou cinzas de madeira queimada, idealmente devemos fertilizar duas vezes por ano na primavera e no outono.

A poda é importante para manter o arbusto desenvolvendo novos ramos e também para dar-lhe a forma e o tamanho que você deseja. Basta ter cuidado para não podar mais de duas vezes por ano e não podar demais, pois isso pode causar danos graves ao arbusto.

Doenças e pragas mais comuns

Como qualquer árvore frutífera, a romãzeira é um alvo ideal para as pragas e também é propensa a doenças durante as diferentes etapas de seu cultivo. Estas são algumas das principais pragas e doenças que podem atacá-la:

Pragas das romãzeiras

Doenças das romãzeiras

Tipos e variedades

Embora as principais variedades da romãzeira sejam a romã comum, a romã azeda e a romã sem sementes, outras variedades menos tradicionais também são conhecidas, tais como a mollar de elche, mollar valenciana, maravilhosa, tendral, dholka, casca de papel e a romã chinesa ou amarela (Passiflora edulis).

Romã no México

Foram os espanhóis que introduziram o cultivo de romãzeiras no México, começando no norte e no centro do país, hoje esta cultura passou a ocupar todas as regiões. Hoje, no entanto, os principais produtores de romãzeiras no México estão localizados nos estados de Hidalgo e Guanajuato.

No México, a romã é uma fruta muito popular não só por seu cultivo e benefícios, mas também porque é um dos principais ingredientes do prato tradicional mexicano chiles en nogada.

Fatos divertidos

A estação da romã no México vai de julho a setembro.

Perguntas mais frequentes

O que é romã e romã?

A romãzeira é uma árvore frutífera e ornamental que você pode cultivar no jardim de sua casa. Esta árvore produz flores grandes, de cor vermelha brilhante a laranja. E a romãzeira é o fruto produzido pela romãzeira.

Para que é usada a romã?

A romã tem múltiplos benefícios para o corpo, pode ajudar a aliviar dores de estômago, diarréia, controlar a pressão alta, aliviar sintomas de artrite, prevenir doenças cardiovasculares, fortalecer o sistema imunológico, melhorar a saúde e a aparência da pele, entre outros.

Para que é usada a folha de romã?

A folha de romã é usada para preparar chá ou infusões que podem ajudar a aliviar doenças estomacais como cólicas, diarréia, indigestão, parasitas ou infecções. É preparada fervendo um pouco de água com algumas folhas frescas ou secas, fervendo-a por alguns segundos, depois deixando-a mergulhar e bebendo-a.

Como uma romã deve ser descascada ou descascada?

A romã pode ser descascada de diferentes maneiras, uma delas é cortar os frutos ao meio e remover as sementes com as mãos ou com a ajuda de uma colher. Outra opção é fazer 4 cortes verticais nos frutos, retirar cada corte e virá-lo sobre uma tigela para que as sementes caiam para fora.

Para que serve o jejum das romãs?

Recomenda-se beber suco de romã ou água com o estômago vazio para que seus efeitos antioxidantes nos ajudem a limpar o corpo e, por sua vez, nos ajudem a prevenir doenças como diabetes, doenças cardíacas, Alzheimer, doenças gastrointestinais, entre outras.

Como é feita a água de romã?

Fazer água de romã é muito simples, basta cortar as romãs pela metade e espremê-las com a ajuda de um espremedor de laranja, assim como uma laranja. Então, você terá que esforçar e pronto.

sergio koifman

Sobre Sergio Koifman

Sergio Koifman é um renomado biólogo com mais de duas décadas de experiência dedicadas à pesquisa e ao entendimento dos ecossistemas naturais. Seu extenso histórico inclui estudos aprofundados sobre a biodiversidade, conservação e sustentabilidade ambiental. Ao longo de sua carreira, Sergio desempenhou um papel fundamental na preservação da vida selvagem e na promoção de práticas sustentáveis. Sua paixão e compromisso em relação à natureza o tornam uma autoridade respeitada na comunidade científica e um defensor incansável da proteção ambiental. Seu trabalho tem um impacto duradouro na preservação dos ecossistemas e na conscientização ambiental.