Home » Frutas » Oídio da videira: sintomas, prevenção e tratamento

Oídio da videira: sintomas, prevenção e tratamento

  • Família: Peronosporaceae
  • Gênero: Plasmopara
  • Espécies: Plasmopara vitícola

Sintomas de míldio-da-videira

Mildiu, também conhecido como neblina ou praga, ataca todas as partes verdes da videira, tanto os brotos como os brotos, bem como folhas e frutos, principalmente em seus estágios jovens. Os principais sintomas desta doença fúngica que suas videiras podem apresentar são:

  • Aparecimento de manchas de aparência oleosa na superfície superior das folhas, de forma angular e de cor amarela a avermelhada, que posteriormente aparecem como mosaicos. Na parte de baixo você pode notar formações densas e algodonosas de cor esbranquiçada, correspondentes aos esporos do fungo.
  • As flores e os frutos são muito sensíveis ao ataque deste fungo quando se põem. No caso dos frutos, tornam-se acinzentados e cobertos com as mesmas formações acinzentadas e algodonosas das folhas.
  • A raque do cacho (caule central que lhe dá sustentação) curva-se em forma de S e seca.
  • É importante nos debruçarmos sobre as formas como o cluster apresenta os sintomas, pois dependendo disso poderemos diagnosticar o estágio ou o formato da doença.

Míldio larval

Quando os frutos são atacados após ultrapassarem o tamanho das ervilhas, quando sua casca endurece, o fungo pode secar as uvas, mas não são geradas as formações algodonosas pelas quais o fungo é transmitido. Isso acontece porque a casca dos frutos o impede, contendo a infecção. O míldio larval aparece em plantas que já foram infectadas com esta doença, razão pela qual também é conhecida como infecção secundária.
Pelas características que os frutos assumem, por vezes é confundida com outra doença fúngica da videira, a podridão negra, mas no caso desta última, as uvas apresentam alguns pontos pretos que não ocorrem com o míldio, e que são os esporos através dos quais a podridão negra é transmitida.

Prevenção e tratamento do míldio-da-videira

O míldio-da-videira infecta e produz sintomas na primavera e pode hibernar durante as estações frias, embora em locais com invernos suaves possa continuar a crescer. Para descobrir quais são as condições mais favoráveis ​​para o aparecimento do míldio-da-videira, podemos nos ajudar com a regra dos três 10:

  • A temperatura deve estar acima de 10º
  • A precipitação deve exceder 10 mm.
  • Os brotos de videira precisam ser maiores que 10 cm.
  • Nós dizemos a você como prevenir esta doença através de práticas culturais e como curá-la se suas videiras já apresentarem sintomas.

Prevenção do fungo da videira

Quando se trata de doenças causadas por fungos, é sempre aconselhável realizar estratégias de prevenção, pois uma vez instalado o fungo é mais difícil de erradicar. Algumas práticas que você pode desenvolver para proteger suas videiras são:

  • Estabeleça suas plantações na direção dominante do vento, para favorecer a aeração e dificultar o estabelecimento dos esporos do fungo.
  • Plante as videiras com espaço suficiente para seu desenvolvimento.
  • Realize a poda de folhas e brotos para reduzir a umidade e aumentar a aeração da planta.
  • Remova as ervas daninhas ao redor da planta.
  • Evite o excesso de nitrogênio do fertilizante.

Tratamento de fungo da videira

Entre os remédios usados ​​para tratar o míldio-da-videira, encontramos diferentes tipos:

  • Contato: são aplicados nas folhas, podendo ser lavados pela chuva, sendo necessário repetir a aplicação.
  • Penetrantes: entram na planta, mas não se espalham muito além da área onde são aplicados.
  • Fungicidas sistêmicos: penetram e circulam por toda a planta através da sálvia para todos os seus órgãos.

Como a maioria dos fungicidas penetrantes e sistêmicos são de origem química, não recomendamos seu uso, pois podem afetar o ecossistema, pessoas e animais. Se suas videiras apresentarem sintomas de fungo, você pode usar remédios caseiros de contato, como:

  • pasta de urtiga
  • Purina ou infusão de cavalinha
  • Fungicida caseiro à base de leite de vaca (em pequenas quantidades, ao pôr do sol)

Perguntas frequentes

Como diferenciar o oídio e o oídio?

Embora ambas as doenças sejam causadas por fungos e tenham formações algodonosas, o oídio as desenvolve na superfície superior das folhas, enquanto o míldio produz manchas amarelas oleosas na superfície superior e formações algodonosas na parte inferior das folhas.

Quando o fungo aparece na videira?

As infecções por míldio ocorrem durante a primavera, época em que a temperatura ultrapassa os 10º e a umidade aumenta, condições que o fungo necessita para o seu desenvolvimento.

sergio koifman

Sobre Sergio Koifman

Sergio Koifman é um renomado biólogo com mais de duas décadas de experiência dedicadas à pesquisa e ao entendimento dos ecossistemas naturais. Seu extenso histórico inclui estudos aprofundados sobre a biodiversidade, conservação e sustentabilidade ambiental. Ao longo de sua carreira, Sergio desempenhou um papel fundamental na preservação da vida selvagem e na promoção de práticas sustentáveis. Sua paixão e compromisso em relação à natureza o tornam uma autoridade respeitada na comunidade científica e um defensor incansável da proteção ambiental. Seu trabalho tem um impacto duradouro na preservação dos ecossistemas e na conscientização ambiental.