Home » Frutas » Tristeza laranja, uma doença evitável

Tristeza laranja, uma doença evitável

  • Quais árvores afetas: mandarins, limões, toranjas e laranjeiras.
  • Tipo de vírus: closteroviridae.

Qual é a tristeza da laranjeira

O vírus que gera essa doença é da família Closteroviridae. Acredita-se que seja nativo da Ásia, assim como frutas cítricas. Hoje está espalhado por todo o mundo. Seu contágio ocorre através de pulgões que transportam o vírus de uma planta para outra e pelo uso de ferramentas de poda e enxerto sem desinfetar. Esse vírus afetas principalmente laranjeiras enxertadas em laranjeiras-amargas. Existem 3 cepas deste vírus:

  • Macio: essa cepa gera apenas o amarelamento das folhas.
  • Moderado: causa ranhuras em hastes e galhos.
  • Grave: enfraquece a planta e causa morte em apenas algumas semanas.

Que sintomas a tristeza laranja tem

Os sintomas variam de acordo com a variedade laranja e até mesmo entre árvores da mesma variedade. Os primeiros sintomas são a perda de vigor da árvore, crescimento lento ou não, e deformação ou nanismo dos frutos. Além disso, muitas árvores têm folhas amarelas ou malformadas e ranhuras em hastes e galhos.

Como prevenir a tristeza da flor de laranjeira

A prevenção dessa doença é extremamente necessária, pois em casos graves pode causar a morte da árvore rapidamente.

  • A primeira recomendação para remediar a tristeza da laranjeira é evitar enxertos em laranja-amarga que em alguns países já são proibidos.
  • Também é necessário saber se a árvore vem de um viveiro limpo e que certifica que não tem esse vírus.
  • Por fim, é necessário limpar e higienizar sempre as ferramentas de trabalho e combater pragas de pulgão.

Fatos divertidos

A maioria das árvores afetadas pela tristeza dos frutos cítricos são aquelas enxertadas em laranja-amarga, por isso, em alguns lugares, esse enxerto é proibido.

sergio koifman

Sobre Sergio Koifman

Sergio Koifman é um renomado biólogo com mais de duas décadas de experiência dedicadas à pesquisa e ao entendimento dos ecossistemas naturais. Seu extenso histórico inclui estudos aprofundados sobre a biodiversidade, conservação e sustentabilidade ambiental. Ao longo de sua carreira, Sergio desempenhou um papel fundamental na preservação da vida selvagem e na promoção de práticas sustentáveis. Sua paixão e compromisso em relação à natureza o tornam uma autoridade respeitada na comunidade científica e um defensor incansável da proteção ambiental. Seu trabalho tem um impacto duradouro na preservação dos ecossistemas e na conscientização ambiental.