Home » Geral » A sacarina é tão boa ou ruim quanto dizem?

A sacarina é tão boa ou ruim quanto dizem?

No meio do Natal já começamos a olhar para as dietas após o nougat. Uma coisa em que pensamos é trocar o açúcar pela sacarina. Será que nos saímos bem com isso? Descobrir!

Hoje no dia a dia vamos falar sobre Um tema que certamente levantamos Quando se trata, por exemplo, de adicionar um comprimido de sacarina ao café ou fazer uma sobremesa “sem açúcar” na nossa cozinha à base de algum tipo de adoçantes:

A pílula de sacarina é mais saudável do que uma colher de sopa de açúcar no café? É melhor para a nossa saúde usar adoçantes do que açúcar em nossas sobremesas? Vamos tentar definir e restringir este tópico interessante.

O que chamamos de sacarina?

Como sempre, devemos começar pelo começo, e devemos Saiba o que queremos dizer com sacarina, como elemento específico, e estendê-lo ao conceito de adoçante, em geral.

Os adoçantes, portanto, a sacarina, o aspartame ou a sucralose (os três adoçantes mais comumente usados), são Produtos artificiais usados para dar aos alimentos que comemos um sabor doce sem recorrer ao açúcar.

Além disso, esses produtos não fornecem calorias para o corpo porque eles não são digeridos no sistema digestivo, especificamente no estômago, então eles atingem o intestino sem sofrer nenhuma de tipo de alteração química. A ausência de calorias é a principal razão para o seu uso diário.

Mas nem tudo são vantagens. Que a sacarina, ou adoçantes em geral, atinjam a flora intestinal sem qualquer decomposição, dependendo da pessoa, pode levar a algum tipo de problema de saúde relacionados ao diabete ou excesso de peso.

Sim, tomamos sacarina para evitar o ganho de peso, mas isso pode nos afetar de maneira totalmente inversa). É por isso que você tem que ter cuidado com esses produtos e nunca abusar deles, e como sempre e nunca se cansar de dizer isso, consulte especialistas sobre isso.

O que os cientistas nos dizem?

Você não ficará surpreso que este assunto tenha sido submetido a testes científicos, análises, pesquisas e estudos. É algo que está no nosso dia a dia e a comunidade científica está ciente.

Existem publicações atuais sobre isso, como na revista Natureza, e mesmo legislação a este respeito, tanto ao nível nacional como europeu, no nosso caso.

Vamos contar com esta legislação para tentar limitar a ingestão de sacarina que podemos fazer para não exceder qualquer limite prejudicial para a nossa saúde. Este limite é tratado pelo ADI: Ingestão Diária Aceitável, que está localizado na legislação europeia chamada EFSA: Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos.

Os números

A moderação é fundamental e as quantidades recomendadas pelos cientistas e pelos regulamentos actuais a este respeito estão muito do lado da segurança da nossa saúde.

Essas quantidades são marcadas pela DDA, como mencionamos anteriormente, e a delimitam de tal forma que uma quantidade de um determinado adoçante é tomada, por exemplo, a sacarina, que não é prejudicial ao corpo humano (geralmente, sempre pode haver exceções) e para curar na saúde, nunca melhor dizendo, esse número é dividido por 100 como uma margem de segurança.

Como você pode ver, O lado da segurança é muito amplo, por isso a legislação é muito clarividente.

Além disso, estimou-se que a rotina que temos na ingestão de adoçantes não ultrapassa os 25% que marcam a DDA. Ou seja, para o caso específico da sacarina, no nosso dia a dia tomamos 4 vezes menos do que os limites estabelecidos por esta Ingestão Diária Aceitável, pelo que estamos a um prudente 400% do lado da segurança quando perigo para a nossa saúde. Nada mal, não é?

Nossa humilde opinião sobre a sacarina

Como tudo nesta vida, tudo sempre com moderação. É claro que se você abusar dele você pode ter um problema de saúde, mas isso pode acontecer com a sacarina e qualquer outra substância. Portanto, recomendamos cautela e estar sempre dentro dos limites da IDA.

Como já mencionamos em outros Posts, idealmente o seu médico e/ou nutricionista Seja aquele que o aconselha e não vá pelo caminho do meio. E sempre, sempre, exercício físico para alcançar bons resultados saudáveis.

liana trotte

Sobre Liana Trotte

Liana Trotte é uma graduada em engenharia pela Universidade Brasil, destacando-se por sua sólida formação e habilidades técnicas. Sua paixão pela resolução de problemas e inovação a conduzem a enfrentar desafios complexos com criatividade e determinação. Liana é uma profissional comprometida em aplicar seu conhecimento em busca de soluções eficazes e inovadoras. Sua formação sólida e mentalidade orientada para resultados a tornam uma adição valiosa em qualquer empreendimento que busque excelência em engenharia.