Home » Geral » Intemperismo

Intemperismo

O intemperismo É o resultado da desintegração ou decomposição das pedras e minerais que estão acima ou nas proximidades da superfície da Terra. Isso ocorre após o contato com a atmosfera, biosfera, hidrosfera ou certos agentes biológicos. Essa alteração os leva a aumentar seu volume, diminuir sua consistência, reduzir o tamanho de suas partículas ou formar outros minerais.

intemperismo

Estudos revelaram que O intemperismo representa um processo exógeno, que tem grande relevância na análise das formas de relevo. Favorece também a distinção dos diferentes tipos de solo, bem como a compreensão dos seus compostos e nutrientes. Ocorre a uma temperatura de 100 °C e uma pressão máxima de 1 kbar.

Entre os agentes que condicionam o intemperismo, destacam-se o clima, a duração dos processos vinculados e as características da pedra. Isso inclui sua cor, fissura, proporção e minerais, entre outros.

TIPOS DE TEMPERATURA

A maioria dos textos fala da existência de dois tipos de medição: química e física. No entanto, há estudiosos que acrescentam a um intemperismo biológico. Cada um possui particularidades que podem ser resumidas da seguinte forma:

intemperismo físico

Esse tipo de intemperismo causa quebra de rocha, mas em nenhuma circunstância afeta sua composição química ou mineral. A pedra se desfaz, facilitando o processo de erosão. As mudanças resultantes são percebidas em suas condições físicas. É causada por elementos ambientais e dentre os fatores que impactam, destacam-se:

  • Descompressão: é a fratura ou rachadura que ocorre em pedras já desenvolvidas, mesmo quando a pressão não é tão acentuada. As fissuras originam pedras com formas horizontais.
  • termoclastia: é devido a um “choque” entre a temperatura interna da rocha e o local onde ela está localizada. As mudanças drásticas que ocorrem em áreas desérticas, por exemplo, causam fissuras. Durante o dia, a luz do sol faz com que a rocha se aqueça e se expanda, enquanto o frescor da noite a faz esfriar e se contrair.
  • fração de gelo: é a quebra das pedras aflorantes, devido à coerção que pequenos pedaços de gelo exercem sobre elas. Os cientistas explicam que a água, uma vez congelada, aumenta seu volume em 9%. Esse líquido, por estar dentro das pedras, gera uma grande pressão em suas paredes, fazendo com que elas se partam.
  • Haloclastia: desta vez é o sal que exerce a pressão, fazendo com que a rocha rache. Essas altas concentrações de sal são percebidas em ambientes áridos, quando as chuvas caem limpam o solo, arrastando o sal que irá precipitar na superfície quando ocorrer a evaporação. Este sal adere às rachaduras e poros das pedras. Uma vez cristalizado, aumenta seu volume, aumentando a força sobre as pedras e fazendo com que elas se quebrem. Este processo na maioria dos casos dá origem a pedras angulares de tamanho pequeno.

intemperismo químico

Neste processo é gerada uma perda da união da pedra. Variações atmosféricas, oxigênio, dióxido de carbono e vapor de água o afetam. O intemperismo químico envolve várias fases.. Estes são:

  • Oxidação: é gerado pela relação dos minerais com o oxigênio atmosférico.
  • Dissolução: é muito relevante em minerais solúveis.
  • Carbonatação: é a combinação de dióxido de carbono e água.
  • Hidratação: nesta fase a água se liga a vários minerais, então há um aumento de volume. Um exemplo é o que acontece com o gesso.
  • Hidrólise: é a quebra de certos minerais devido ao trabalho realizado pelos íons H + e OH na água.
  • Bioquímica: a desintegração de agentes biológicos que existem no solo dá origem à formação de ácidos orgânicos.

intemperismo biológico

Os reinos animal e vegetal são responsáveis ​​pelo intemperismo biológico ou intemperismo externo. Ela ocorre, por exemplo, pela ação de certas raízes que, juntamente com ácidos orgânicos e água, modificam a anatomia das rochas. Essas raízes “entram” nas rachaduras e agem como cunhas, causando a fratura.

Relevância do Intemperismo

O intemperismo é muito significativo, pois Tem um grande impacto na formação do solo.. Graças a ela, as pedras que já estão na Terra são decompostas e surgem materiais para a formação de outras pedras. Há quem afirme que, sem esse processo, dificilmente existiriam os continentes e sua vegetação.

Após vários estudos, os pesquisadores conseguiram mostrar que, quando a erosão não ocorre, o intemperismo favorece o surgimento de depósitos minerais. As mais relevantes são as lateritas populares, enriquecidas em óxidos e hidróxidos de ferro, das quais são extraídas rochas ricas em ferro (goethita, lepidocrocita e hematita). A maioria tem hidróxidos de quartzo e alumínio. Por isso, são muito valorizados no mercado. As pedreiras mais importantes desse tipo são encontradas no Brasil.

Da mesma forma, existem depósitos de bauxita com altas concentrações de hidróxidos de alumínio e depósitos de gossan (ou monteras de ferro), onde as pedras são formadas pela oxidação de sulfetos de ferro.

liana trotte

Sobre Liana Trotte

Liana Trotte é uma graduada em engenharia pela Universidade Brasil, destacando-se por sua sólida formação e habilidades técnicas. Sua paixão pela resolução de problemas e inovação a conduzem a enfrentar desafios complexos com criatividade e determinação. Liana é uma profissional comprometida em aplicar seu conhecimento em busca de soluções eficazes e inovadoras. Sua formação sólida e mentalidade orientada para resultados a tornam uma adição valiosa em qualquer empreendimento que busque excelência em engenharia.