Home » Meio Ambiente » Basidiósporos: [Características, Tipos, Reprodução e Alimentação]

Basidiósporos: [Características, Tipos, Reprodução e Alimentação]

Pontos importantes sobre Basidiósporos:

  • Que são? O basidiósporo é um esporo reprodutivo originário de fungos, que contém um núcleo nascido da mielose, produzido por células fúngicas chamadas basídios.
  • Quais são as espécies? Os basidiomicetos fazem parte dos mais diversos grupos de fungos, dentre os quais estão os cogumelos, puffballs, falos, fungos da madeira, fungos gelatinosos, ou seja, 30% dos fungos conhecidos.
  • Que tipo de reprodução eles têm? A reprodução dos basidiomicetos é assexuada e sexuada. A reprodução assexuada ocorre por brotamento e fragmentação do micélio. Na reprodução sexuada, camadas chamadas de himenias são formadas no basidiocarpo. Lá, as hifas terminais se fundem em núcleos para formar o basídio.
  • Como eles se alimentam? Os fungos são organismos saprófitos que se alimentam de matéria orgânica morta, como restos de plantas e animais, substâncias residuais, produtos sintéticos e qualquer elemento do meio ambiente. Eles precisam de compostos de carbono ricos em energia feitos por outros organismos.
  • Essa causa? A presença de fungos cria reações alérgicas com sintomas de congestão nasal, irritação nos olhos, febre e dificuldades respiratórias. Os esporos produzem fungos. Aqueles com doenças crônicas podem desenvolver infecções por fungos.
  • Como eles são classificados? Existem várias classificações, mas a principal é aquela que atende à existência de basidiomas, seu tipo e seu modo de vida, como os seguintes: fragmobasidiomicetos, holobasidiomicetos e teliomicetos.

O que são basidiósporos?

O que são basidiósporosAntes de entrar no assunto dos basidiósporos, devemos falar sobre os basidiomicetos, que são os fungos que compõem o filo basidiomycota.

Que apresenta milhares de espécies em habitats espalhados por todo o planeta. Nesse grupo de fungos estão cogumelos comestíveis, ferrugens, fuligem, fungos gelatinosos e leveduras.

E é que o basidiósporo é um esporo reprodutivo originado em fungos, que contém um núcleo nascido da mielose, produzido, por sua vez, por células fúngicas chamadas basídios.

Os basídios, que produzem os basidiósporos, ou esporos sexuais, contêm um núcleo obtido da mielose e, nesse processo, um único fungo tem a capacidade de liberar um bilhão de esporos.

O corpo dos basidiomicetos é constituído por um micélio primário haplóide de curta duração, além de um micélio secundário. As hifas são septadas e os septos são conhecidos como dolipos.

O basidiocarpo, que é o corpo de frutificação onde se formam os basídios, constitui o micélio terciário onde encontramos cogumelos, espigas de madeira ou fungos gelatinosos.

Durante os períodos de umidade, os esporos são liberados no ar, sendo dispersos pelos fungos durante a noite e madrugada, afetando assim a saúde dos seres humanos.

Quais são as espécies?

BasidiomicetosOs basidiomicetos fazem parte dos mais diversos grupos de fungos compostos por 30.000 espécies.

Entre eles estão cogumelos, puffballs, falos, fungos da madeira, fungos gelatinosos, ou seja, 30% dos fungos conhecidos.

A principal característica é a formação de basídios, que produzem basidiósporos exógenos, uninucleados e haploides.

O basídio é uma estrutura que carrega em sua superfície dois ou quatro basidiósporos que são formados como resultado da cariogamia, que é a fusão de dois núcleos, e da mieiose. O basídio típico se forma como a célula terminal de uma hifa binucleada.

Embora seja pequeno, cresce, alonga e alarga. O basidiósporo é uma estrutura uninuclear haplóide (às vezes pode ser binucleada) que dá origem a vários pequenos conídios a partir dos quais o micélio é formado.

O micélio é composto de hifas e, embora seja microscópico, às vezes é possível ver um micélio em áreas úmidas, tocos em decomposição e em folhas mortas molhadas.

O basidiósporo completa um processo de expulsão; Em primeiro lugar, devemos dizer que está unido ao basídio pelo esterigma que lhe dá impulso em sua liberação.

Próximo ao local de união, o basidiósporo possui uma pequena protuberância conhecida como apêndice hilar. Quando o esporo amadurece, uma gota ou bolha de líquido se forma nessa área; essa gota, ao explodir, intervém na expulsão do esterigma.

Que tipo de reprodução os basidiomicetos têm?

Que tipo de reprodução eles têm?A reprodução dos basidiomicetos é assexuada e sexuada. A reprodução assexuada ocorre por brotamento e fragmentação do micélio.

E em alguns grupos (carvões e ferrugens) pela formação de vários tipos de esporos assexuados.

Além disso, a reprodução assexuada ocorre pela produção de conídios. Os conídios são produzidos pela brotação de basidiósporos e micélio e são muito comuns em carvões.

As ferrugens produzem esporos, chamados uredósporos, durante o verão. As hifas se dividem em pedaços unicelulares que germinam através dos tubos germinativos, dando origem a novos micélios, que dão origem a fragmentos chamados artrósporos.

Na reprodução sexuada, formam-se no basidiocarpo camadas chamadas de himenias; lá as hifas terminais se fundem em núcleos (cariogamia) para formar o basídio.

A fusão nuclear e a meiose ocorrem dentro do basídio, onde os núcleos compatíveis entram em contato pela primeira vez quando o micélio primário compatível se une para dar origem ao micélio secundário ou dicariótico para a formação de esporos.

Como os fungos basidiósporos se alimentam?

Como os fungos basidiósporos se alimentamOs fungos são organismos saprófitos que se alimentam de matéria orgânica morta.

Como restos de plantas e animais, substâncias residuais, produtos sintéticos e qualquer elemento do meio ambiente.

Eles precisam de compostos de carbono ricos em energia feitos por outros organismos, pois são decompositores por excelência.

Os fungos são comuns nos ecossistemas e estão envolvidos na mineralização dos restos vegetais para que possam formar parte do húmus.

Eles podem viver à custa de tecidos vivos de organismos, absorvendo açúcares e aminoácidos simples das células vivas do hospedeiro. Assim, causam doenças e até a morte por toxinas. Ou a destruição de tecidos por enzimas.

O que os basidiósporos causam?

O que os basidiósporos causam?A presença de fungos cria reações alérgicas com sintomas de congestão nasal, irritação nos olhos ou sibilos, febre e dificuldade para respirar.

Os esporos produzem fungos, que é um dos principais tipos de fungos que se desenvolve em locais úmidos e com pouca luz.

Pessoas com doenças crônicas, como doença pulmonar obstrutiva, podem desenvolver infecções por fungos, e alguns desses fungos tóxicos produzem micotoxinas que têm sérias consequências para a saúde humana.

São substâncias alergênicas que se desenvolvem dentro das residências, principalmente ao redor de louças sanitárias e lava-louças, e que penetram nas paredes. Quando isso acontece, eles podem fazer com que os moradores se afoguem, às vezes com consequências fatais.

A forma de evitar isso é manter o interior da casa bem ventilado, onde a umidade não ultrapasse 50%, principalmente nos quartos, na cozinha e no banheiro.

Os fungos são espécies heterotróficas, saprófitas, parasitárias e simbióticas; saprófitas são negativas na ecologia florestal, pois algumas espécies podem degradar a lignina, o polímero mais abundante no mundo vegetal, que é um componente da madeira essencial para a vida das plantas.

A lignina é composta de celulose e hemicelulose e se degrada devido à formação de húmus como produto da decomposição. Espécies parasitas são abundantes e responsáveis ​​por várias doenças de plantas, como ferrugem e carvão.

Os fungos atacam as lavouras causando danos às plantações. Um deles é o oídio que produz manchas brancas na superfície das folhas, que podem causar a morte da planta. Outro fungo perigoso é o míldio, que produz manchas amarelas.

Como são classificados os basidiósporos?

Existem várias classificações feitas por vários pesquisadores de taxonomia e estudos micológicos, mas a principal é aquela que atende à existência de basidiomas, seu tipo e seu modo de vida, como a seguinte classificação:

  1. Fragmobasidiomicetos: estes têm um basidiocarpo, ou na sua falta, um himénio descoberto, onde encontramos basídios septados e tetracelulares.
  2. Holobasidiomicetos: eles têm as mesmas condições que o anterior, mas com basídios unicelulares.
  3. theliomycetes: são os fungos que não desenvolvem basidiocarpos. Seu basídio se origina de um esporo de resistência de paredes espessas ou teliósporo.

sergio koifman

Sobre Sergio Koifman

Sergio Koifman é um renomado biólogo com mais de duas décadas de experiência dedicadas à pesquisa e ao entendimento dos ecossistemas naturais. Seu extenso histórico inclui estudos aprofundados sobre a biodiversidade, conservação e sustentabilidade ambiental. Ao longo de sua carreira, Sergio desempenhou um papel fundamental na preservação da vida selvagem e na promoção de práticas sustentáveis. Sua paixão e compromisso em relação à natureza o tornam uma autoridade respeitada na comunidade científica e um defensor incansável da proteção ambiental. Seu trabalho tem um impacto duradouro na preservação dos ecossistemas e na conscientização ambiental.