Home » Meio Ambiente » Clima de alta montanha: [Conceito, Características, Flora, Fauna e Temperatura]

Clima de alta montanha: [Conceito, Características, Flora, Fauna e Temperatura]

O que é clima de alta montanha?

O que é clima de alta montanhaFalamos de um clima de montanha caracterizado pela presença de invernos muito frios, com temperaturas de geada abaixo de 0ºC, nos picos mais altos do relevo terrestre.

Onde costumam ocorrer verões muito curtos e frescos, sem a presença de dias quentes com temperaturas elevadas.

No entanto, os especialistas da área alertam que não é verdade que exista um clima de montanha, mas sim vários climas de montanha descritos na classificação climática, apesar de a corrente tradicional falar de apenas um.

As montanhas ou áreas alpinas do mundo, na verdade, têm climas diferentes do clima geral onde estão localizadas, mesmo quando os centros de ação e as massas de ar que os afetam são os mesmos do clima predominante.

Você sabia que…?

A altitude é muito importante neste caso particular, pois introduz modificações, dependendo do comportamento das massas de ar.

Precisamente, à medida que uma massa de ar sobe uma encosta tenderá a perder temperatura e isso acontece regularmente, pois a cada 100 metros perde-se 1ºC, desde que a massa de ar não esteja saturada.

Daí resulta que, à medida que se sobe as encostas de uma montanha, a umidade relativa aumenta até que ocorre o chamado ponto de saturação e cai a precipitação, conhecida sob o nome de chuvas orográficas.

Ocorre também que esse ponto de saturação ocorre em áreas intermediárias, antes que a encosta termine. Acima desse território onde as chuvas podem ser muito mais abundantes, surge um espaço muito mais frio mas onde costumam cair chuviscos ou aguaceiros.

Que características tem?

  1. Este clima ocorre em altitudes acima de 1.200 metros acima do nível do mar, onde os níveis de oxigênio são muito baixos. No entanto, deve-se notar que os critérios são variáveis ​​ao definir a altitude da alta montanha. No México, uma montanha será alpina se estiver 4.000 metros acima do nível do mar (masl) Mas na Patagônia (entre Argentina e Chile) altas montanhas são alcançadas de 1.700 msnm e na Espanha, variam entre 2.000 a 2.500 msnm.
  2. A oscilação térmica é de 10,5 ºC (diferenças entre as temperaturas mínima e máxima)
  3. Os climas de montanha têm invernos muito frios e duradouros, onde as temperaturas são geralmente inferiores a 0 ºC. Há muita precipitação na forma de neve.
  4. No verão de curta duração, o clima esfria, mas nunca fica muito quente. No entanto, é importante esclarecer que a insolação no topo das montanhas é sempre muito maior do que nas planícies ou vales, devido às diferentes massas de ar e frentes que afetam o clima desta área em particular.
  5. O relevo da serra é muito característico e possui duas vertentes, de acordo com os ventos predominantes em geral. Estas são a vertente de barlavento (voltada para o vento) e o seu inverso, a vertente de sotavento (voltada para o vento). No primeiro, funciona um efeito barreira e no segundo, o chamado efeito foehn ou vento foehn, que ocorre na Península Ibérica, nos Pirinéus, nas serras Belticas e no sistema central, quando o ar está praticamente seco e a temperatura aumenta um pouco. , pressão atmosférica e umidade.
  6. Outra característica desse sistema climático é que o regime de ventos é diferente. São produzidos os chamados ventos catabáticos, que são aqueles que descem do topo da montanha até o vale. E os ventos anabáticos fazem o contrário: sobem do vale até o topo da montanha.

Deve-se notar que as montanhas também desenvolvem muitos topoclimas e microclimas, afetando uma determinada região, como o cume, uma encosta, um vale. Isso gera uma distribuição de vegetação que também será característica.

Que fauna habita o clima de alta montanha?

Que fauna habita o clima de alta montanhaEmbora possa não parecer, dadas as baixas temperaturas que prevalecem nas montanhas, há uma grande variedade de fauna neste clima de belas e relaxantes paisagens.

Animais resistentes ao gelo com características especiais conseguiram sobreviver ao longo de encostas íngremes e picos cobertos de neve.

Na região espanhola destacam-se os anfíbios como a salamandra dos Pirinéus ou a rã-da-grama. Cobras raras, como a víbora venenosa, também são vistas nesses ecossistemas de alta altitude.

Outro animal capaz de mudar a pelagem para se adaptar ao frio do inverno é a camurça. Roedores como a ratazana da neve, entre outros, também podem ser vistos.

Abundam os insectos que são presas fáceis para as aves que atravessam as altas montanhas com grande facilidade, como a águia-real, o lagópode ou o galo silvestre.

Para saber mais, você pode ver: Fauna de clima de alta montanha.

Que flora tem o clima de alta montanha?

Que flora tem o clima de alta montanha?A vegetação no clima de montanha é distribuída por pisos. seu cAs características variam de acordo com a altitude, condições de umidade e temperaturas predominantes.

Assim, a flora é classificada em cliséries ou climaséries. Dois tipos de cliceries são então conhecidos:

cliserie latitudinal

As variações de temperatura estão ligadas à distância referencial da linha do equador terrestre.

Cliséries altitudinais

Eles estão relacionados às variações de temperatura em relação à altitude. De acordo com a altitude, são apresentadas as seguintes classificações das plantas nas montanhas. Vamos ver quais são:

cumes

Obtêm-se plantas bastante pequenas, como líquenes e musgos, que crescem sempre ao nível do solo, espalhando-se como se fosse um grande tapete verde. A grama, no entanto, crescerá em algumas áreas para formar pastagens. Fala-se então de uma flora arbustiva, baixa.

coníferas

São árvores perenes que atingem grandes altitudes. Na Espanha, o pinheiro preto e o abeto espanhol predominam muito bem em climas abaixo de 0 graus.

Esfregar

Nesta área das montanhas, outros tipos de coníferas, como zimbros e zimbros, conseguiram sobreviver a uma temperatura um pouco mais alta.

madeiras duras

Prevalecem as árvores de folha caduca, que se soltam, como os carvalhos, castanheiros e faias. Há também árvores perenes, como azinheiras e, em menor grau, pinheiros espalhados em áreas onde outrora habitaram faias.

parte baixa da montanha

As plantas que necessitam de temperaturas quentes crescem nesta zona, como os sobreiros, os pinheiros de Alepo, as alfarrobeiras e as azinheiras.

Para saber mais, você pode ver: Flora climática de alta montanha.

Onde podemos encontrar o clima de alta montanha?

Onde podemos encontrar o clima de alta montanhaÁreas de alta montanha são encontradas em várias partes do planeta, com grande capacidade de abrigar diversos ecossistemas.

Composto por uma flora e fauna particular que se adaptou a condições extremas de baixas temperaturas, onde há ventos fortes, precipitação, mas também há zonas onde a chuva é bastante ocasional.

As cadeias montanhosas mais importantes do planeta são as montanhas de Sierra Nevada nos Estados Unidos da América, a grande Cordilheira dos Andes, que vai da Venezuela ao Chile, bem ao sul da América Latina.

Outro sistema de montanhas muito famoso está localizado no Tibete e no sistema asiático do Himalaia. Outras montanhas que abrigam a vida são as de Hokkaido no Japão, as altas montanhas da Nova Guiné, Nova Zelândia, localizadas na África Oriental e no Sudeste Asiático, respectivamente.

O Kilimanjaro, na África, por exemplo, permite a vida em um ecossistema de clima quente. Mas existem outros ecossistemas onde as temperaturas muito baixas nos altos Alpes não permitem formas de vida abundantes, dada a falta de oxigênio e ventos fortes, que impedem o crescimento vegetativo.

Que temperaturas costuma ter?

Que temperaturas costuma ter?As altas temperaturas nas montanhas são negativas no inverno e positivas no verão.

Isto significa que uma temperatura média anual ronda os 0ºC, se for uma oscilação térmica inferior a 20º.

Quantas vezes chove no clima de alta montanha?

No verão, que é sempre muito mais curto do que no inverno, as chuvas nas altas montanhas costumam ser em média de 1.000 mm por ano.

sergio koifman

Sobre Sergio Koifman

Sergio Koifman é um renomado biólogo com mais de duas décadas de experiência dedicadas à pesquisa e ao entendimento dos ecossistemas naturais. Seu extenso histórico inclui estudos aprofundados sobre a biodiversidade, conservação e sustentabilidade ambiental. Ao longo de sua carreira, Sergio desempenhou um papel fundamental na preservação da vida selvagem e na promoção de práticas sustentáveis. Sua paixão e compromisso em relação à natureza o tornam uma autoridade respeitada na comunidade científica e um defensor incansável da proteção ambiental. Seu trabalho tem um impacto duradouro na preservação dos ecossistemas e na conscientização ambiental.