Home » Meio Ambiente » Clima polar: [Características, Flora, Fauna e Adaptabilidade]

Clima polar: [Características, Flora, Fauna e Adaptabilidade]

Divulgue para seus amigos e seguidores!

Pontos importantes sobre o Clima Polar:

  • O que é? O clima das regiões mais frias do planeta é chamado de clima polar, onde as temperaturas costumam ficar abaixo de 0º, com temperatura média anual que não ultrapassa 10ºC.
  • Onde está localizado geograficamente? O clima polar domina nas áreas de latitudes próximas aos pólos norte e sul da Terra. Além disso, prevalece nos altos picos montanhosos do planeta, como nos Andes e no Himalaia.
  • Como é a flora? A ausência de plantas nas regiões mais frias do planeta é uma característica derivada da impossibilidade de suportar geadas permanentes. No entanto, musgos e líquenes proliferam em áreas pantanosas, atormentadas por turfeiras.
  • Como é a vida selvagem? Os ursos polares, o lobo ártico, a lebre ártica, a rena, a raposa ártica, o lobo ártico, o boi almiscarado, entre outras espécies, habitam as regiões de clima polar. As aves não são abundantes, mas são poucas.
  • Quanto tempo dura o dia e a noite? A noite dura aproximadamente 6 meses do ano, o mesmo tempo que a Terra leva em sua viagem de translação. Consequentemente, os outros 6 meses do ano prevalecem a luz, é sempre diurno.
  • Os seres humanos podem viver neste clima? Na Antártida, cerca de 5.000 pessoas conseguiram ficar, das quais apenas mil ficam no inverno. Apesar de, há 35 milhões de anos, esta região inóspita ter permanecido isolada do resto do mundo.

O que é clima polar?

o que é clima polarO clima das regiões mais frias do planeta é chamado de clima polar, onde as temperaturas costumam ficar abaixo de 0º, com temperatura média anual que não ultrapassa 10ºC.

A vida nessas regiões do planeta é muito mais complicada, tanto nas regiões terrestres quanto nas marinhas ou aquáticas. Mas ao longo da evolução evolutiva do planeta, muitas espécies animais conseguiram se adaptar e sobreviver.

Embora o homem tenha conseguido permanecer em algumas regiões do Pólo Norte, ele optou por realizar expedições militares e científicas em áreas tão geladas quanto a base russa Vostok na Antártida.

O Pólo Norte da Terra é um pouco mais quente que seu oposto, o Pólo Sul, graças à incidência dos raios do sol como resultado da inclinação do eixo da Terra.

Onde está localizado geograficamente o clima polar?

Onde está localizado geograficamente o clima polar?O clima polar domina nas áreas de latitudes próximas aos pólos norte e sul da Terra.

Também prevalece nos altos picos montanhosos do planeta, como os Andes (América) e o Himalaia (Ásia).

Eles totalizam uma superfície terrestre de 20% do total planetário.

Quais são as características do clima polar?

Quais são as características do clima polar?No clima polar destacam-se as seguintes características: É considerado o clima mais frio da Terra, com temperaturas que oscilam entre 8-9ºC. O frio máximo registrado na Antártida chega a -89ºC.

Estende-se em regiões dos pólos norte e sul, com presença acentuada nos picos mais altos das montanhas do planeta.

Existem duas estações bem diferenciadas: a mais longa é totalmente fria e outra curta é mais quente, que não ultrapassa os 10ºC, conhecida como verão polar.

A precipitação anual é escassa, quase nula, com uma média de cerca de 300 mm que cai na forma sólida, como a neve. A umidade atmosférica também é baixa, quase zero, dificultando as condições de vida. É por isso que a água está na forma de gelo ou flocos de neve que caem na terra.

Os ventos são intensos. Eles são conhecidos como nevazón ou nevascas acompanhadas de neve. A flora e a fauna são escassas e endémicas. O ano no clima polar é dividido em:

  1. Primavera e verão: o sol brilha entre os dois pólos. É conhecido sob o nome de dia polar
  2. outono no inverno: o sol se esconde entre os dois pólos. Este fenômeno é chamado de noite polar, onde a radiação solar é fraca na maior parte do ano.

Durante pelo menos 6 meses há sol, o resto do ano é escuro.

Que flora predomina no clima polar?

Que flora predomina no clima polarA ausência de plantas nas regiões mais frias do planeta é uma característica derivada da impossibilidade de suportar geadas permanentes.

São biomas com subsolo sempre congelado, onde é evidente a falta de vegetação arbórea, pois as árvores não crescem devido ao estresse gerado pelo frio glacial.

Sim, musgos e líquenes proliferam em áreas pantanosas, atormentadas por turfeiras em muitos lugares. Esse tipo de flora prevalece no hemisfério norte, da Rússia, Alasca, ao norte do Canadá, sul da Groenlândia e toda a chamada costa ártica europeia.

Musgos, líquenes, arbustos e ervas crescem nos climas típicos da tundra, com verões muito frios e curtos, podem ser vistos na chamada ecozona Neártica e Paleártica, localizada numa área estimada de 11.563.300 km2, entre o seguintes regiões continentes: América, Europa, Ásia e Antártica.

Em direção ao hemisfério sul do planeta, embora haja temperaturas um pouco mais estáveis ​​ao longo do ano, tanto na zona mais ao sul do Chile e da Argentina quanto nas regiões próximas ao nível do mar ao norte da Antártida.

A flora desenvolve-se a uma latitude de 63º 33′, mas ao descer destas latitudes se conseguem esplêndidas florestas de coníferas.

Que fauna predomina no clima polar?

Que fauna predomina no clima polarA fauna climática no Ártico é escassa, mas muito conspícua. Caracteriza-se pela presença de espécies endêmicas, únicas nesta região congelada do planeta.

Esses animais possuem uma autoproteção natural marcada pela presença de uma espessa camada de gordura sob a pele, que é literalmente forrada com pelos abundantes para atenuar os efeitos do frio intenso.

No caso dos mamíferos terrestres, é comum que eles tenham pelagem branca que lhes permite se misturar com o ambiente para se esconder de seus agressores ou caçar suas presas de forma muito furtiva.

Ursos polares, lobo ártico, lebre ártica, rena, raposa ártica, lobo ártico, boi almiscarado, entre outros, fazem parte da fauna característica. As aves não são abundantes, mas sim mínimas em presença, pois migram em busca de regiões mais quentes, uma clara demonstração de luta pela sobrevivência.

Com exceção da andorinha-do-mar-do-ártico, que migra da região ártica para a Antártida, não há muitas espécies. Outra característica das áreas mais frias são as corujas nevadas. Na tundra canadense há uma maior variedade de pássaros.

Entre os animais aquáticos temos a grande presença de mamíferos marinhos como várias espécies de baleias, focas, pinguins, morsas, golfinhos e peixes. E entre os herbívoros que compõem o habitat polar temos lebres, bois almiscarados, caribus e lemingues.

Quanto tempo dura o dia e a noite no clima polar?

Quanto tempo dura o dia e a noite no clima polar?No clima polar, a luz não chega durante seis meses do ano, como resultado da rotação da Terra.

O que faz com que essas regiões fiquem sem incidência dos raios solares.

Isso significa que a noite dura aproximadamente 6 meses do ano, o mesmo tempo que a Terra leva em sua viagem de translação. Consequentemente, os outros 6 meses do ano prevalecem a luz, é sempre diurno.

Os humanos podem viver no clima polar?

Os humanos podem viver no clima polar?Todos os seres vivos, incluindo os humanos, são regidos pelo chamado relógio biológico que regula as funções fisiológicas mais básicas.

Também é conhecido sob o nome de ritmo circadiano. Este ciclo tem 24 horas e estabelece os horários de sono e vigília.

Isso significa que as horas de vigília coincidem com a luz solar predominante e as horas de sono coincidem com a escuridão da noite na ausência de luz solar direta.

Quando um ou outro se prolonga e temos que enfrentar longos dias no verão do sul ou noites eternas no inverno polar. O que acontece com os seres vivos?

O ritmo circadiano é desordenado, maluco e pode causar sérios distúrbios a nível fisiológico, com alterações comportamentais em humanos e animais que podem até levar à morte.

Vários estudos científicos estabeleceram que, por exemplo, ao longo da evolução de milhares de milhares de anos, existem espécies que conseguiram se adaptar para sobreviver.

É o caso das renas da espécie Rangifus tarandus que habitam os pólos terrestres. Sua adaptabilidade foi tão grande que eles conseguiram desconectar completamente seu ritmo circadiano, desligando seu relógio biológico, condição que lhes permitiu enfrentar dias e noites eternos.

Os humanos podem viver no clima polar?O mesmo acontece com esquilos, castores e camundongos, hábeis no manejo dos ritmos biológicos em tempos de hibernação.

Muitos foram os animais que conseguiram se adaptar aos rigores da luz no verão e da escuridão no inverno dos pólos da Terra.

O mesmo não acontece com os seres humanos. As fragilidades são maiores embora também tenha havido sucesso na adaptação de algumas comunidades à luz intensa ou nula nos pólos terrestres.

E é que o hormônio melatonina, responsável por regular o ritmo circadiano, varia de acordo com a época do ano para regular sua produção de acordo com a ausência ou aumento da luz natural.

No entanto, na Antártida, também chamada de continente perdido, cerca de 5.000 pessoas conseguiram permanecer, das quais apenas mil permanecem no inverno, apesar de essa região inóspita ter permanecido isolada por pelo menos 35 milhões de anos. mundo.

Existem também cerca de 66 bases de observação científica, onde apenas cerca de 33 têm presença ativa ao longo do ano, uma vez que algumas param as operações nos meses escuros e frios. A Antártida não tem povos indígenas autóctones. Foi descoberto mais tarde do que o Pólo Norte, por volta de 1820.

O Ártico, por sua vez, foi colonizado há cerca de 23 bilhões de anos por povos caçadores e depois por homens brancos que comiam pinguins, morsas e até baleias.


Divulgue para seus amigos e seguidores!
sergio koifman

Sobre Sergio Koifman

Sergio Koifman é um renomado biólogo com mais de duas décadas de experiência dedicadas à pesquisa e ao entendimento dos ecossistemas naturais. Seu extenso histórico inclui estudos aprofundados sobre a biodiversidade, conservação e sustentabilidade ambiental. Ao longo de sua carreira, Sergio desempenhou um papel fundamental na preservação da vida selvagem e na promoção de práticas sustentáveis. Sua paixão e compromisso em relação à natureza o tornam uma autoridade respeitada na comunidade científica e um defensor incansável da proteção ambiental. Seu trabalho tem um impacto duradouro na preservação dos ecossistemas e na conscientização ambiental.