Home » Meio Ambiente » Fotossíntese: [Conceito, Processo, Etapas e Importância]

Fotossíntese: [Conceito, Processo, Etapas e Importância]

Divulgue para seus amigos e seguidores!

O que é fotossíntese?

o que é fotossínteseA fotossíntese é o processo químico pelo qual as plantas com clorofila aproveitam a energia solar para transformar um substrato inorgânico em matéria orgânica rica em energia.

Para se alimentar e produzir oxigênio para a vida planetária. Em suma, é um processo que permite que as plantas obtenham energia, nutrientes e produzam oxigênio.

Além das plantas, algas e certas bactérias podem realizar a fotossíntese. Por isso são chamados de seres autotróficos, que são aqueles capazes de produzir alimentos de forma autônoma a partir de substâncias inorgânicas.

Como ocorre a fotossíntese?

Quais são as etapas da fotossíntese - Fase escuraÉ uma função exclusiva da clorofila das plantas, que consiste na conversão de matéria inorgânica em orgânica com o auxílio da luz solar, pois a energia luminosa é transformada em energia química estável.

As substâncias inorgânicas são o dióxido de carbono (C02) e a água que eles retiram do meio ambiente para convertê-los em substâncias orgânicas chamadas carboidratos, liberando oxigênio graças à transformação da energia luminosa em energia química produzida pela clorofila.

A fábrica de energia nas folhas são os cloroplastos, órgãos ovóides das células vegetais que possuem clorofila. A clorofila é um pigmento verde muito sensível à energia solar localizado nas folhas das plantas.

Torna-se visível porque confere a típica tonalidade verde à folhagem formada pelo conjunto das folhas e, além disso, é a base para a produção de substâncias orgânicas a partir do dióxido de carbono e da água.

O produto final da fotossíntese é chamado de glicose, porque a planta realiza esse processo vital para obter seu próprio alimento. Como resíduo dessa reação, é liberado oxigênio gasoso (O2), que é devolvido à atmosfera.

O processo de alimentação

O processo de alimentaçãoLa alimentación de las plantas es un proceso que ocurre en varias etapas que comienzan cuando las raíces crecen hacia los lugares del subsuelo donde hay agua y otros minerales que se encuentran en la tierra, los absorben y, a través de los tallos, los envían a as folhas.

As folhas serão responsáveis ​​por captar a luz através da clorofila contida nos cloroplastos, para formar a fotossíntese.

As plantas, assim alimentadas, são responsáveis ​​por limpar e purificar a atmosfera, quando, por meio de suas folhas, expelem para a atmosfera o oxigênio necessário à subsistência do ser humano.

Quais são as fases da fotossíntese?

A energia solar é captada pela clorofila para iniciar a fotossíntese, em um processo em que ocorrem duas fases, a fase clara e a fase escura. Vamos ver como eles operam.

fase leve

Durante a fase de luz, o processo depende exclusivamente da luz. Quando a luz solar é captada pela clorofila, ocorre uma reação chamada fotólise, capaz de transformar a água em hidrogênio e oxigênio.

Então, um presente milagroso é dado à vida no planeta: o oxigênio é liberado no meio ambiente e o hidrogênio passa a fazer parte de outras etapas do processo.

fase escura

Como ocorre a fotossínteseNa fase escura, o hidrogênio é liberado pelo processo de fotólise e o dióxido de carbono é capturado da atmosfera.

Ambos são combinados para produzir glicose, transformando a seiva bruta em uma seiva elaborada que garante alimento para as plantas.

Os cloroplastos são os principais atores da fotossíntese, porque capturam a energia da luz e produzem moléculas de glicose a partir do dióxido de carbono encontrado no ar e na água absorvida pelas raízes no solo.

Além de produzir fotossíntese, os cloroplastos servem como locais de armazenamento de amido e algumas proteínas. Para saber mais, você pode ver: Estágios da fotossíntese.

Por que a fotossíntese é importante para a vida no planeta Terra?

Por que a fotossíntese é importante para a vida no planeta Terra?Sem o processo de fotossíntese produzido pelas plantas verdes, a vida na face do planeta simplesmente não seria possível.

E é que todos os seres vivos dependem do oxigênio que as plantas liberam na atmosfera durante a fotossíntese. Sem esse suporte de vida você não pode respirar.

Além disso, a maioria das estruturas dos seres vivos requer, para seu pleno desenvolvimento, os produtos orgânicos que são formados no processo de fotossíntese, juntamente com a maioria inorgânica do ambiente circundante.

Isso significa que a matéria que dá forma aos organismos e aos seres vivos em geral é proveniente da matéria orgânica. No caso dos seres humanos, sua dependência da fotossíntese é ainda maior do que a de animais e plantas que utilizam o oxigênio para fins de mera subsistência.

O homem não só respira graças ao maravilhoso processo da clorofila. Também precisa da fotossíntese para produzir alimentos em larga escala, dada a crescente demanda global.

Da mesma forma, há outra dádiva vital que o reino vegetal prodigaliza ao planeta, a coleta de dióxido de carbono, um resíduo da respiração que retorna à planta para que ela possa continuar o ciclo interminável da fotossíntese

Processo que traz o seguinte benefício adicional: reduzir as concentrações indesejadas desse gás de efeito estufa que causa as mudanças climáticas e o aquecimento global.

Em resumo, os benefícios que a fotossíntese proporciona ao planeta são os seguintes:

  1. A liberação de oxigênio que é gerada na fotossíntese é usada na respiração aeróbica como um oxidante vital para a vida.
  2. O oxigênio é restaurado ao ar e isso facilita a respiração.
  3. O CO2 produzido pelos animais e em processos de putrefação e decomposição, é reaproveitado na fotossíntese, evitando uma perigosa saturação desse gás na atmosfera que impediria a vida na Terra como a conhecemos.
  4. A síntese de matéria orgânica em inorgânica que é realizada durante a fotossíntese, passa de alguns seres vivos para outros com suporte na cadeia alimentar, para que possa ser transformada na matéria de cada organismo vivo.
  5. A fotossíntese produz a transformação da energia luminosa em energia química, essencial para que o restante dos seres vivos também se beneficie.
  6. A fotossíntese também depende de toda a energia armazenada por milhões de anos em combustíveis fósseis como petróleo, carvão e gás natural.
  7. Também garante um equilíbrio entre seres autotróficos e heterotróficos, para que todos se beneficiem.
  8. Da mesma forma, a comunidade científica estabeleceu que a fotossíntese foi a grande responsável pela mudança favorável que ocorreu na atmosfera primitiva, que tinha características redutoras e anaeróbicas.
  9. A diversidade planetária também depende da fotossíntese.

História sobre a descoberta da fotossíntese

FotossínteseA história da fotossíntese remonta à Grécia Antiga, pois Aristóteles foi o primeiro pensador interessado em verificar de onde veio a cor verde das plantas.

Tanto que ele sugeriu pela primeira vez uma associação entre a luz solar e a produção de clorofila nas plantas.

Mais tarde, outro intelectual da época, Empédocles advertiu que as plantas eram capazes de assimilar o ar e Teofrasto concluiu que os alimentos vegetais vinham da terra.

Todas essas ideias foram diluídas ao longo do tempo, até que no século 17 a fisiologia das plantas apareceu nas mãos de Stephen Hales, que retomou o assunto e concluiu que as plantas usavam o ar que capturavam em suas folhas como alimento.

Já no século XVIII, outros pensadores relacionavam conceitos da química com a biologia, mas de forma muito incipiente.

Um clérigo nascido na Inglaterra chamado Joseph Presley é considerado o descobridor do oxigênio (O2) porque conseguiu determinar que as plantas tinham um processo inverso à respiração dos animais, que se comportam como consumidores e não produtores dele.

Joseph Presley descobriu que o dióxido de carbono que as plantas emitem durante os chamados tempos de escuridão ou crepúsculo, mas foi incapaz de interpretar plenamente as razões para essas descobertas.

Outra data importante, 1778, marcou uma nova descoberta significativa liderada por um médico de origem holandesa, Jan Ingenhousz, que dirigiu muitos experimentos que lhe permitiram entender melhor como funcionam os processos de produção de oxigênio nas plantas.

Esse holandês determinou, por exemplo, que as plantas entorpecem o ar no claro e no escuro, assim como os animais se saíram pior do que quando receberam a luz do sol, então o ar carregado de oxigênio foi liberado, mas em uma quantidade que excedeu o que foi liberado. consumido.

Ele foi então capaz de determinar que a luz solar era essencial para que essa descarga fotossintética de oxigênio na atmosfera ocorresse. Outra descoberta de seus numerosos experimentos foi que esse processo de fotossíntese ocorreu apenas nas partes verdes das plantas.

História sobre a descoberta da fotossínteseMais tarde, houve novas contribuições de outros cientistas, mas foi o químico alemão Justus von Liebig, que estabeleceu com segurança que os organismos são entidades constituídas por compostos químicos que também geram reações químicas, em processos-chave, vitais para a vida.

Assim, ratifica os postulados anteriormente formulados por Théodore de Sassure, que descobriu que o aumento da biomassa depende do processo de fixação do dióxido de carbono que as folhas das plantas retiram do ar, mas que também quando há emissão desse gás , perde-se, gera-se água e calor.

Outras contribuições significativas são atribuídas, no início do século XIX, a Pelletier e Caventou, pois falaram do conceito de clorofila para identificar a composição dos pigmentos fotossintéticos das plantas.

Da mesma forma, a entrada de CO2 nas plantas através dos estômatos é descrita por Dutrochet, que também conclui categoricamente que apenas as células contendo clorofila são as únicas que produzem oxigênio.

Em 1905, no início do século XX, Frederick Frost Blackpeoman foi o responsável por medir a velocidade alcançada pelo processo de fotossíntese, utilizando variações na intensidade da luz natural, verificando que a taxa aumenta quando recebe luz moderada, sem alterações significativas se recebe a planta luz solar forte.

Frederick Frost Blackpeoman concluiu que a fotossíntese desacelerou em temperaturas acima de 30ºC, até que o processo cessou.

A partir de 1940, um químico americano chamado Melvin Calvin conseguiu descrever com precisão, com base no carbono radioativo 14, toda a sequência de reações químicas que as plantas geram durante a fotossíntese, quando transformam dióxido de carbono e água em oxigênio, além de hidratos de carbono. , pesquisa que lhe rendeu o Prêmio Nobel de Química em 1961.

O ciclo de Calvin que explica este maravilhoso processo de natureza química é conhecido como o Ciclo de Calvin. Por fim, outro cientista relevante na evolução dos estudos sobre o funcionamento da fotossíntese foi o fisiologista vegetal Daniel Arnon.

Em 1954, Daniel Arnon realizou estudos com folhas de espinafre, onde a fotossíntese era induzida na ausência total de células, com a ideia de provar como as células se formam e são capazes de assimilar o dióxido de carbono.


Divulgue para seus amigos e seguidores!
sergio koifman

Sobre Sergio Koifman

Sergio Koifman é um renomado biólogo com mais de duas décadas de experiência dedicadas à pesquisa e ao entendimento dos ecossistemas naturais. Seu extenso histórico inclui estudos aprofundados sobre a biodiversidade, conservação e sustentabilidade ambiental. Ao longo de sua carreira, Sergio desempenhou um papel fundamental na preservação da vida selvagem e na promoção de práticas sustentáveis. Sua paixão e compromisso em relação à natureza o tornam uma autoridade respeitada na comunidade científica e um defensor incansável da proteção ambiental. Seu trabalho tem um impacto duradouro na preservação dos ecossistemas e na conscientização ambiental.