Home » Meio Ambiente » Organização Celular: [Seres Vivos, Plantas, Animais e Fungos]

Organização Celular: [Seres Vivos, Plantas, Animais e Fungos]

O que é organização celular?

O que é organização celularCada ser vivo é composto de células, que são consideradas a principal unidade morfológica e funcional de cada organismo. Estas estruturas permitem a auto-manutenção e a reprodução da célula.

Existem organismos unicelulares, onde a célula é o ser vivo como um todo, mas a maioria de nós somos seres multicelulares. Existem três estruturas básicas de células: a membrana plasmática, o citoplasma e o material genético.

A membrana plasmática é um envelope de lipoproteínas que limita e protege a célula. Sua tarefa é controlar a troca de substâncias com o meio ambiente e é o órgão de relacionamento da célula.

O citoplasma compreende o conteúdo da célula. Consiste em uma solução aquosa chamada citosol na qual são dissolvidos sais e moléculas orgânicas e em seu interior existem numerosas organelas com e sem membranas responsáveis por realizar as diversas funções da célula.

O material genético consiste em ácido desoxirribonucleico ou DNA, um pacote contendo todas as informações genéticas que controlam a atividade celular, incluindo sua capacidade de divisão. Ela também é compartilhada igualmente entre as células filhas.

Como é a organização celular nos seres vivos?

Como é a organização celular nos seres vivos?No vasto universo dos seres vivos, existem duas organizações totalmente identificadas a nível celular: a procariótica e a eucariótica.

E o fato é que todos os seres vivos são compostos de células, eucarióticas ou procarióticas, organizadas em tecidos que dão origem a um ser mais complexo.

Ou menos, como são os organismos unicelulares. As células procarióticas são de estrutura simples, com um citoplasma que não possui organelas membranosas e nenhum núcleo verdadeiro.

Há uma parede celular ao redor da membrana, um único fio de DNA ou material genético com presença dispersa no citoplasma. Bactérias e arcaicas são procariotas. Eles também são organismos unicelulares.

As células eucarióticas, por outro lado, são mais complexas. Eles têm organelas de células membranosas, um verdadeiro núcleo de membrana dupla que envolve o material genético. Eles podem ser unicelulares ou multicelulares. Os organismos equariotróficos são algas, protozoários, fungos, plantas e animais.

Moléculas inorgânicas, compostas de água e sais minerais, assim como moléculas orgânicas, identificadas como carboidratos, lipídios, proteínas e ácidos nucléicos, interagem no sistema de organização celular. Isto significa que os seres vivos são uma organização celular, um conjunto de biomoléculas capazes de desempenhar funções vitais para a vida.

O núcleo em células eucarióticas controla toda a atividade celular e divisão celular, graças ao conteúdo do material genético ou DNA, onde todas as informações hereditárias da célula são armazenadas. É membrana e sua estrutura consiste na membrana celular, nucleoplasma, nucleolus, nucleolus e cromatina.

Como é a organização celular nas plantas?

Como é a organização celular nas plantas?As plantas têm uma organização celular que lhes permite formar tecidos e diferentes órgãos. Conseqüentemente, eles têm vários níveis de organização celular. Vamos ver.

O reino Plantae consiste em organismos multicelulares com células eucarióticas, ou seja, capazes de fotossíntese. Ela compreende todas as plantas terrestres, plantas aquáticas e algumas espécies de algas, que vivem nos ecossistemas do planeta.

As células vegetais ou eucarióticas têm uma estrutura única composta de uma parede celular e um grande vacúolo central, composto de dois componentes vitais: celulose e pectina, assim como organelas chamadas cloroplastos.

Os cloroplastos possuem clorofila, um pigmento fotossintético muito importante para o processo mágico da fotossíntese, indispensável para a vida, pois é assim que as plantas produzem oxigênio para a respiração.

Parede celular

A parede celular é um envelope externo muito rígido da membrana de plasma, composto de celulose. Tem uma parede primária que é fina e flexível, especialmente quando as células são jovens.

Mas há também uma parede secundária espessa, rígida, dura, nas células adultas. A parede celular tem muitas funções vitais:

Apoio mecânico

Esta é uma função muito importante, pois é apoiar a planta, como se fosse um esqueleto.

Turgescência

Outra função chave é proteger as células de fenômenos osmóticos em meios hipotônicos, a fim de evitar o estouro. Isto é chamado de turgência.

Comunicação

Da mesma forma, outra função da parede celular é permitir a troca de substâncias entre células, em plasmodesmados, a fim de abrir canais citoplasmáticos que comunicam as células adjacentes.

Proteção

Protege a célula contra ataques de patógenos e insetos, e contra fenômenos como a abrasão.

Crescimento e diferenciação

A parede celular também orienta o crescimento celular e estabelece a diferenciação dos tecidos.

Plastids

Dupla memória e organelas diferentes. Eles têm tipos diferentes:

Amyloplasts

Os cromoplastos, responsáveis pelo armazenamento de pigmentos que dão cor às flores, raízes e frutas, são capazes de armazenar amido.

Proteinoplastos

Eles são responsáveis pelo armazenamento de proteínas.

Cloroplastos

Cloroplastos Eles são verdes e possuem vários pigmentos com membranas internas chamadas tilacóides dentro de um espaço interno ou estroma.

Justamente nos tiacóides, que agrupam os grana em sacos empilhados, são pigmentos que geram o processo de fotossíntese.

Oleoplastos

Eles armazenam lipídios.

O DNA circular também existe na estrutura celular das plantas.

Vacuoles

Conter grandes organelas membranosas onde funções importantes como osmose, digestão, armazenamento de nutrientes e eliminação de resíduos são realizadas. Assim, as plantas têm vários níveis de organização celular. Vamos ver.

Nível molecular

Derivado de estruturas que se formam a partir de reações químicas de dois ou mais elementos, dando origem a novas matérias. Uma molécula chave é a clorofila.

Nível celular

Este é o nível mais baixo de organização dos seres vivos. Todas as plantas têm numerosas células. No interior, eles têm várias organelas celulares, que são verdadeiros especialistas em garantir que a planta funcione corretamente.

Nível de tecido

Quando várias células idênticas são unidas, ocorre uma união que dá lugar à formação de tecidos, que cumprem várias funções, tais como: tecido epidérmico, tecido meristemático, colênquima, xilema, entre outros.

Nível de órgão

É composto de várias camadas de tecidos que são unidas para cumprir uma função específica, por exemplo, a fotossíntese, a transpiração e a respiração acontecem nas folhas. Outros órgãos vegetais visíveis são a raiz, o caule e a flor.

Nível do sistema de órgãos

Nível do sistema de órgãosNo reino Plantae, todos os órgãos funcionam em coordenação, pois cada um realiza uma parte do trabalho necessário, acoplados em um sistema de órgãos.

Por exemplo, as flores são uma parte fundamental do aparato reprodutivo. Isto é subdividido em um sistema reprodutivo feminino e um sistema reprodutivo masculino.

O primeiro consiste no gynoecium, que abriga o ovário, e dentro dele estão os óvulos a serem fertilizados, que carregam os gametas fêmeas (oospheres) e um núcleo secundário.

No caso do aparelho reprodutor masculino, o androcecio é a parte fundamental, que suporta os estames, dentro do qual é depositado o grão de pólen que transporta o gameta masculino chamado anterozoon.

Outro aparelho chave é aquele responsável pelo transporte e circulação de substâncias através de embarcações condutoras chamadas xilema e floema. Cada um cumpre um papel que será vital para a vida da planta.

Individual

Este é o nível que compreende o ser único e indivisível que é a planta, considerada um indivíduo porque possui suas próprias características únicas que lhe permitem sustentar-se a si mesmo.

Como é a organização celular nos animais?

Como é a organização celular nos animais?Dentro da classificação científica dos seres vivos que habitam o planeta, o reino Animalae ou Metazoa é composto por um grupo bastante grande e muito amplo de organismos eucarióticos, heterotróficos, tecidulares e multicelulares.

Estes são caracterizados por sua organização celular eucariótica e multicelular.

Todas as criaturas deste reino possuem uma enorme diversidade morfológica e comportamental, mas se distinguem de outros reinos porque não produzem clorofila, nem possuem uma parede celular em cada uma de suas numerosas células.

Eles são seres multicelulares, tendo células eucarióticas com um núcleo celular dentro contendo o material genético ou DNA, ao contrário de outras células procarióticas, onde este conteúdo está disperso no citoplasma.

Outra condição essencial é que a grande maioria tenha a autonomia para se mover, a maioria deles pode se mover. Muito poucas, muito poucas espécies passam suas vidas imóveis.

A comunidade científica contou cerca de dois milhões de espécies animais diferentes no total, sendo as espécies de artrópodes as mais numerosas, bem como moluscos, cordas, nematódeos e minhocas planas.

Células eucarióticas

Entre as características celulares estão que as células de todos os animais são eucarióticas, com um núcleo central contendo a informação genética que será transmitida de uma geração para a próxima. Mas este núcleo não tem parede celular, que é o caso de plantas e fungos.

Seres multicelulares

No nível dos tecidos, existe uma diversidade complexa nestes seres multicelulares, caracterizada pela presença de uma proteína estrutural: o colágeno. Além disso, esta estrutura é mais flexível do que no caso das plantas e, portanto, pode ocorrer uma espécie de reorganização celular que é favorável a elas.

A célula animal tem uma atividade metabólica muito complexa. Ela é composta das seguintes partes:

Membrana de plasma

Possui uma camada lipídica composta de colesterol e fosfolípidos, com proteínas e carboidratos. É responsável pela filtragem da passagem de substâncias e estabelece uma comunicação celular eficaz.

Cytosol

Este é o meio aquoso no qual o citoplasma opera e onde grande parte do processo metabólico também ocorre. Contém enzimas, biomoléculas e inclusões.

Cytoskeleton

CytoskeletonCompreende a coleção de filamentos de proteínas de espessura variável que dão às células sua forma. Eles são chamados microtubos, microfilamentos e filamentos intermediários.

Eles ajudam a garantir a movimentação da célula e suas organelas, especialmente os cromossomos durante o processo de divisão celular. Eles também são parte ativa dos cílios, flagelos, fusos acromáticos, pseudopodia e centríolos.

Núcleo

A maior organela interna de membrana. Possui uma membrana dupla e contém DNA associado a proteínas de histoneto contendo cromatina. Também possui vários núcleos.

Centrosome

Esta é uma estrutura muito densa encontrada dentro do citoplasma cujo trabalho é a fabricação de microtubos.

Eles também contêm centríolos, uma estrutura cilíndrica disposta perpendicularmente entre si, formada pelos microtubos, que serão fundamentais na formação do chamado fuso acromático no processo de divisão celular, a formação de cílios e flagelos.

Ribosomes

Estas também são organelas membranosas que são compostas de proteínas e RNA. A afinação das proteínas ocorre aqui e elas podem estar livres ou presas ou presas à membrana RER e ao núcleo.

Retículo endoplásmico

Retículo endoplásmicoEsta é uma espécie de rede de espaços de membranas que se conectam entre si, mas também com o plasma e as membranas nucleares.

Há uma que é lisa, que não tem ribossomos e que é capaz de sintetizar lipídios e eliminar substâncias tóxicas. Há outro retículo endoplasmático rudimentar responsável pela síntese de proteínas.

Aparelho Golgi

Consiste em sacos de membrana empilhados. Sua função é modificar, secretar e distribuir substâncias produzidas no retículo endoplasmático, por meio de vesículas que são direcionadas para a membrana plasmática ou para o exterior da célula.

Mitochondria

MitochondriaSão também organelas com dupla membrana, uma por fora que é lisa e outra por dentro com muitas dobras ou cristas.

No interior, há um espaço interno chamado matriz contendo um DNA circular próprio e ribossomos do tipo bacteriano.

As mitocôndrias são responsáveis pela obtenção de energia celular, por meio da chamada respiração celular aeróbica.

Lysosomes

Estas foram identificadas como vesículas membranosas que se formam no Golgi. Eles consistem de enzimas digestivas e hidrolases para garantir a digestão intracelular.

Peroxisomes

São vesículas membranosas responsáveis pelas reações de oxidação.

Como é a organização celular em fungos?

Como é a organização celular em fungos?Os fungos também são organismos eucarióticos, com células que possuem um núcleo definido onde todas as informações genéticas estão contidas. O corpo é composto de filamentos altamente ramificados com uma parede celular quitinosa.

Eles produzem esporos e são diretamente responsáveis por grande parte da decomposição da matéria orgânica, aumentando assim sua disponibilidade nos solos.

Não possuem clorofila, sua nutrição opera por absorção e podem ter reprodução sexual e assexuada. Alguns fungos são comestíveis, outros são altamente venenosos ou psicotrópicos e patogênicos. Como é sabido, existem dois tipos de células eucarióticas, tanto em animais quanto em plantas.

Graças às suas características, as células fúngicas são equiparadas às do reino vegetal, pois possuem estrutura semelhante. Em uma célula fúngica, nós temos:

Uma parede celular ou quinina; uma membrana celular ou ergosterol; o citoplasma tem organelas e é composto de mitocôndrias, o retículo endoplasmático, o aparelho de Golgi; e tem um núcleo com uma membrana nuclear. A parede celular é composta por cerca de 90% de polissacarídeos, mas o restante são proteínas e lipídios.

O quitin é um componente muito comum. Sua parede é multifacetada, com lamelas que possuem fibrilas de orientação variada que têm um ingrediente principal: proteínas, entre outros. Mas existem outros componentes microfibrilares revestidos com outras substâncias. Algumas dessas proteínas compõem a parede.

As hifas crescem apicalmente na maioria das estruturas fúngicas. Um ápice é mostrado com grandes números de vesículas citoplasmáticas que se originam do retículo endoplasmático e depois passam para os dictiosomas, antes de serem liberados no ápice, fundindo-se com a membrana de plasma e liberando seu conteúdo na zona da parede.

Seu crescimento é monopodial, ou seja, com uma prevalência apical, mas há ramificações dicotômicas.

Como tem sido estudado cientificamente, a maior parte dos membros do reino os fungos consistem em mais de uma célula, ou seja, são organismos multicelulares. As leveduras, entretanto, são a exceção: são fungos com um único núcleo.

Os fungos têm células capazes de todas as funções, ao contrário, por exemplo, de outros organismos multicelulares, como os seres humanos. Além disso, eles têm um tecido semelhante a um talo, não semelhante a tecidos, que protege toda a sua estrutura.

sergio koifman

Sobre Sergio Koifman

Sergio Koifman é um renomado biólogo com mais de duas décadas de experiência dedicadas à pesquisa e ao entendimento dos ecossistemas naturais. Seu extenso histórico inclui estudos aprofundados sobre a biodiversidade, conservação e sustentabilidade ambiental. Ao longo de sua carreira, Sergio desempenhou um papel fundamental na preservação da vida selvagem e na promoção de práticas sustentáveis. Sua paixão e compromisso em relação à natureza o tornam uma autoridade respeitada na comunidade científica e um defensor incansável da proteção ambiental. Seu trabalho tem um impacto duradouro na preservação dos ecossistemas e na conscientização ambiental.