Home » Meio Ambiente » Quais são as diferenças entre gás real e gás ideal?

Quais são as diferenças entre gás real e gás ideal?

Começo ” Diferenças entre Gás Real e Gás Ideal

diferença entre gás real e gás idealO gás É um material de baixa densidade que não possui volume ou formato próprio, mas se adapta à tigela, recipiente ou jarra onde é armazenado.

Os gases são compostos de átomos e moléculas que interagem entre si por meio de forças intermoleculares e ocupam um volume finito.

Pelos princípios de pressão, volume e temperatura é possível distinguir o gás real do gás ideal.

o gás ideal

Quais são as diferenças entre gases reais e gases ideais?O gás ideal ou perfeito é do grupo de gases teóricos cujas partículas pontuais em movimento aleatório não interagem entre si, como o oxigênio, hidrogénio e dióxido de carbono; Da mesma forma, considera mudanças inversamente proporcionais entre pressão e volume, mas mudanças diretamente proporcionais de ambos, pressão e volume, em relação à temperatura.

Por outro lado, o comportamento termodinâmico dos gases reais não segue a equação do gás ideal, pois mantém alta pressão e baixa temperatura, ou seja, possui valores de densidade muito grandes.

De acordo com a teoria cinética dos gases, o comportamento de um gás ideal é baseado em duas premissas: as moléculas do gás não são pontuais e a energia de interação não é desprezível.

Gás naturalNo modelo de gás ideal, as substâncias estão sempre no modo gasoso. Mais complexo é o comportamento da substância real, que pode sofrer uma mudança de fase ou estado.

Essa mudança de fase torna as isotermas do gás real mais complexas do que as do gás ideal.

o gás real

Um gás real não pode ser comprimido indefinidamente, ao contrário da hipótese do gás ideal.

Em baixas pressões, e em circunstâncias idênticas, gases reais são mais compressíveis que gases ideais, mas isso ocorre quando seus valores de pressão são maiores, o que depende da temperatura e do tipo de gás.

Em condições normais, quando sua fórmula química é simples e sua relatividade baixa, a pressão e a temperatura dos gases reais serão iguais às dos gases ideais, como é o caso do hélio.

As propriedades do gás real não podem ser explicadas pela lei do gás ideal; para compreendê-los, devem ser levados em conta os efeitos de compressibilidade, capacidade calorífica, efeitos termodinâmicos de não equilíbrio e forças de Van der Waals.

Quando falamos sobre forças de van der Waalsnome do cientista holandês Prêmio Nobel de Física em 1910 que investigou os gases, nos referimos às forças repulsivas e atrativas que existem entre as moléculas e que são muito pequenas no caso de gases reais.

Diferenças entre gás real e gás ideal de acordo com Van der Waals

dióxido de carbono e gás naturalSegundo o cientista, a diferença entre gases reais e gases ideais é que um corrige o volume e o outro modifica a pressão. Sustenta que os gases reais, a pressões e temperaturas próximas do ambiente, agem como gases ideais.

A Lei de Van der Waals pode ser definida como uma equação de estado sobre a pressão do gása constante universal do gás, o volume ocupado pelo gás e sua temperatura em valor absoluto.

As equações do gás real devem ser aplicadas ao medir o comportamento de um gás que difere das condições usuais de um gás ideal.

Diferenças entre gás e vaporEssas equações mostram que os gases reais não têm expansão infinita, porque se tivessem não poderiam ocupar um volume maior.

Finalmente, a equação do gás ideal funciona bem quando a atração intermolecular do gás é desprezível e as moléculas não ocupam uma parte significativa do volume total, o que é verdade quando a pressão é baixa e a temperatura é alta.

Em outras situações, a lei dos gases ideais pode dar resultados diferentes. Mas o que está claro é que os gases nem sempre se comportam como gases ideais.

sergio koifman

Sobre Sergio Koifman

Sergio Koifman é um renomado biólogo com mais de duas décadas de experiência dedicadas à pesquisa e ao entendimento dos ecossistemas naturais. Seu extenso histórico inclui estudos aprofundados sobre a biodiversidade, conservação e sustentabilidade ambiental. Ao longo de sua carreira, Sergio desempenhou um papel fundamental na preservação da vida selvagem e na promoção de práticas sustentáveis. Sua paixão e compromisso em relação à natureza o tornam uma autoridade respeitada na comunidade científica e um defensor incansável da proteção ambiental. Seu trabalho tem um impacto duradouro na preservação dos ecossistemas e na conscientização ambiental.