Home » Meio Ambiente » Que tipos de vulcões podemos encontrar no mundo?

Que tipos de vulcões podemos encontrar no mundo?

Os vulcões expelem o magma que vem das profundezas da crosta terrestre, composto por gases, sólidos e líquidos que disparam em altas temperaturas, liberando uma grande quantidade de energia da Terra, neste terrível fenômeno natural de milhões de anos.

Existem vários tipos de vulcões, servindo as características estruturais que apresentam e também o tipo de erupção.

Vamos ver rapidamente, a seguinte classificação, embora deva ser esclarecido antes que existem vulcões que combinam diferentes estruturas que dependem da origem tectônica.

Vulcões compostos ou estratovulcões

No caso dos vulcões compostos ou estratoolcanes, observa-se que são bastante grandes, têm formato cônico e uma enorme cratera central.

tipos de vulcões estratovulcõesSua estrutura vulcânica é composta por sucessivas camadas de depósitos de lava e pedaços de rocha, além de escórias, cinzas e areias que se acumulam de erupções anteriores.

Da mesma forma, têm a característica de formar picos nevados de grande beleza com mais de 2.500 metros de altura, com volume estimado de 400 quilômetros cúbicos e superfície de 1.000 quilômetros quadrados.

A erupção é explosiva como resultado de um magma viscoso que sobe à superfície, obstrui a cratera e o gás fica preso. Por isso o barulho é importante, pois a pressão sobe muito até estourar.

Caldeiras

vulcão caldeira tipos de vulcõesSão vulcões cuja origem ocorre como resultado de grandes erupções que colapsam a parte central ou todo o edifício vulcânico, deixando uma grande caldeira ou cratera gigante, entre 5 e 15 quilômetros de diâmetro.

Eles são formados porque quando a câmara magmática está vazia, a pressão interna diminui e ocorre o colapso do edifício vulcânico.

Ou também porque a chaminé é bloqueada por um magma ácido muito viscoso e então ocorre uma explosão muito violenta que destrói toda a estrutura, deixando apenas uma caldeira.

Vulcões de escudo

São vulcões com aparência de enormes montanhas com declives suaves formados pela aglomeração de fluxos de lava. Muitas camadas de fluxos de lava se formam, derramando-se pela saída de uma abertura central, ou várias.

Esses vulcões costumam ter um cone muito largo e são donos de uma lava basáltica muito fluida, por isso não se acumula em lugares altos.

Outra característica desses vulcões é que eles podem se formar a partir de pontos quentes distantes dos limites das placas tectônicas ou ao longo da dorsal meso-oceânica.

Essa situação faz com que a expansão do fundo marinho ocorrem em torno de áreas associadas a arcos vulcânicos.

Eles têm uma erupção pouco explosiva de lava que forma cones de cinzas e cones no chamado respiradouro.

Cúpulas de lava

cúpulas de lava tipos de vulcõesSão vulcões com uma estrutura pequena, quando comparados aos vulcões compostos, escudo ou caldeira.

Têm declives muito acentuados e como se acumulam no seu interior lavas muito viscosas e fluxos de blocos e cinzas incandescentes.

Cones de cinzas e escórias

Este vulcão tem um cone bastante pequeno que se formou graças ao acúmulo de muita cinza e escória.

É por isso que se considera ter um cone de cinzas, caracterizado por uma colina cônica íngreme formada no topo de um respiradouro.

Suas erupções não têm um grande impacto letal, acontecem graças à presença de um magma viscoso que retém os gases, liberando-os de forma interrompida ou intermitente.

Também acontece o seguinte: os fragmentos de lava são expelidos por um único respiradouro. Lá eles se acumularão quando cairem de volta no chão. Eles crescem rapidamente até seu tamanho ideal, estimado em 250 metros de altura e 500 metros de diâmetro.

As erupções, entretanto, são de 6 tipos. Vamos ver quais são suas principais características.

Havaiano

O vulcão emite uma lava viscosa, mas muito fluida, porque não contém muitos materiais piroclásticos, onde há uma mistura quente de cinzas, fragmentos de rocha e gases.

Sua característica fundamental é que os gases são liberados lentamente, pouco a pouco e as explosões são raras, mas conduzem a lava até 500 metros de altura, que não sai da cratera, mas das laterais.

Seu nome é porque eles estão focados no Havaí, Estados Unidos.

Vulcano

A lava do vulcão é extremamente viscosa, solidifica rapidamente, por isso não é fluida. Aqui é emitida muita cinza e a explosão que ocorre forma uma nuvem escura em forma de cogumelo.

Quando se torna ativo, ocorre uma reação freática que traz muitos detritos para a superfície. E o magma é viscoso, carregado de gases vulcânicos escuros.

Estromboliano

Nesse modo eruptivo, o vulcão liberará materiais piroclásticos e suas explosões serão distantes ou esporádicas.

Também não emite lava continuamente, mas emite uma alternância dos materiais que são expelidos. É por isso que um cone estratificado em camadas de lava fluida é formado e muitos gases e materiais sólidos saem.

Seu nome vem do vulcão Stromboli, localizado ao norte da Sicília, nas Ilhas Eólias, no Mar Tirreno, na Itália.

Pliniano ou Vesuviano

A lava deste vulcão é bastante viscosa com explosões muito violentas que causam terror nas pessoas. Tem uma verdadeira erupção de gás e expele muita cinza.

Às vezes, o cume do vulcão desmorona devido à poderosa expulsão de magma e dá lugar à formação de uma caldeira. Da mesma forma, cinzas finas estão dispersas em grandes áreas ao redor do epicentro do fenômeno.

Peleano

O que é um vulcãoEste tipo de vulcão deve o seu nome a a erupção brutal do Monte Pelee na Martinica em 1902onde milhares de pessoas perderam a vida.

Sua característica é que a lava se solidifica rapidamente, causando um tampão na cratera que cria uma pressão gigantesca que impede que os gases escapem, mas quando as paredes cedem, a lava escapa para todos os lados.

Hidro-vulcânico

Este vulcão produz erupções atípicas, porque o magma se integra com as águas subterrâneas ou superficiais. Geralmente são explosivos

sergio koifman

Sobre Sergio Koifman

Sergio Koifman é um renomado biólogo com mais de duas décadas de experiência dedicadas à pesquisa e ao entendimento dos ecossistemas naturais. Seu extenso histórico inclui estudos aprofundados sobre a biodiversidade, conservação e sustentabilidade ambiental. Ao longo de sua carreira, Sergio desempenhou um papel fundamental na preservação da vida selvagem e na promoção de práticas sustentáveis. Sua paixão e compromisso em relação à natureza o tornam uma autoridade respeitada na comunidade científica e um defensor incansável da proteção ambiental. Seu trabalho tem um impacto duradouro na preservação dos ecossistemas e na conscientização ambiental.