Home » Viagens » Argentina » O Que Fazer em Buenos Aires

O Que Fazer em Buenos Aires

Quando disse à minha amiga argentina Maria que iríamos visitar seu país em nossa turnê mundial, ela não hesitou em entrar em contato com sua melhor amiga de Buenos Aires. “Vou colocar você em contato com a Natalia, ela é a garota mais legal que eu conheço e vai te mostrar o que ver em Buenos Aires”.

Ele não estava errado. A Nati nos recebeu com os braços abertos em sua cidade pronta para nos mostrar o melhor de Buenos Aires e, pela segunda vez em apenas uma semana, esta viagem nos mostrou o grande generosidade de muitas pessoas que, sem te conhecerem de todo, também te abrem as portas da casa. Bem-vindo!

O Que Fazer em Buenos Aires

No final de janeiro chegamos na cidade de Santísima Trinidad e Puerto de Santa María de los Buenos Aires (especificamente de Santiago do Chile) desembarcamos no aeroporto Ministro Pistarini em Ezeiza, um dos dois aeroportos que esta grande, muito grande, cidade de estilo europeu tem.

Após deixar as coisas na casa da Nati e aproveitar que ela não trabalhava, saímos com ela e Facu, seu parceiro, para Passeie pela cidade de carro e assim nos orientamos um pouco para decidir nos próximos dias o que ver em Buenos Aires por nós mesmos. Toda bondade e generosidade com dois, até aquele momento, conhecidos apenas virtualmente.

Assim, em nossa primeira tarde fizemos um City Tour com o melhor dos guias. Começamos com o imenso Avenida Júlio 9, até recentemente o mais amplo do mundo, ou bem, do universo enteeeeero que os portenhos diriam. A seguir, abordamos o conhecido Praça de Maio, coração de grandes concentrações populares e cenário de importantes episódios históricos: primeiro passo para a independência em 1810, juramento público da Constituição em 1860 e explosão popular do peronismo em 1945.

No meio da praça está o Pirâmide de Maio e pintou no chão os lenços das Mães de Maio que lembram as reivindicações de seus filhos desaparecidos durante a ditadura militar de 1976 a 1983. Ao redor da praça observamos o também famoso Casa Rosada (sede da Presidência da Nação), bem como o Catedral Metropolitano, o Cabildo (autoridade máxima da cidade de 1580 a 1821), o Banco Argentino e o Museu do Bicentenário. Estacionamos naquela área e caminhando nos aproximamos do antigo bairro de São Telmo.

Tour San Telmo por um domingo

Era domingo, o dia perfeito para passear por San Telmo percorrendo suas barracas de artesanato e antiguidades. Muito parecido com Notting Hill, em Londres. Lá tentamos o nosso primeiro morder. Um prato argentino com pedaços de queijo de diferentes tipos, chouriço, presunto, azeitonas, … Delicioso! E também fizemos o nossa primeira mudançaazul. E é isso A Argentina é um país que também dança ao som do dólar, não só do tango.

Desde 2012 existem duas taxas de câmbio. Um oficial que está em torno de 8 pesos por dólar e uma taxa de câmbio paralela e não oficial que eles chamam de “azul” onde o dólar flutua entre 10 e 13 pesos (janeiro de 2014). Os argentinos por muitos anos foram proibidos de comprar outras moedas além do peso. A única maneira que eles têm de comprar mais moedas é no mercado.”azul“, sempre superior ao funcionário.

Caminhando por San Telmo, e entre barracas de todos os tipos de artesanato, encontramos a famosa escultura de Mafalda sentados em um banco (uma das coisas essenciais para ver em Buenos Aires), apreciamos um delicioso sorvete e voltamos para o carro para nos aproximar do novo e luxuoso bairro de Puerto Madero, a área mais moderna da cidade. Uma área muito vertical e recuperada do mar onde edifícios de vidro se projetam no céu e pequenos veleiros aguardam no Rio da Prata para ser levado para passear. Só Naquela tarde no bairro do Recoleta e lá levamos o nosso Imediato, erva-mate verde muito quente.

No entanto, nosso primeiro contato com a cidade de Buenos Aires não foi amor à primeira vista. Nossa relação com a cidade era como a daqueles amantes que demoram um pouco para se conhecer para, só com o tempo, acabarem se apaixonando. A cidade foi nos cativando aos poucos, cada vez mais com o passar dos dias. Provavelmente porque não chegamos preparados para a mudança, não a das moedas, já que para isso tínhamos dólares americanos, mas para a mudança de ar.

Faça um passeio a pé gratuito

Buenos Aires é uma das maiores cidades que já visitamos. Andar por ela te deixa em forma para qualquer corrida e te obriga a colocar os pés para cima quando chegar em casa. Microcidades em uma grande cidade. Enorme, exaustivo. Aproveitamos uma das tardes para fazer uma desses passeios a pé gratuitos que a gente gosta tanto.

Nesta ocasião partimos da construção do Congresso para a Plaza de Mayo percorrendo o Avenida de Maio. Naquela área, hotéis e teatros ainda lhe dão o tom hispânico que inspirou a criação desta avenida. Lá encontramos o conhecido Palácio Barolo cujas formas sinuosas e originais ainda surpreendem, um edifício construído para conquistar o céu já que ultrapassava quatro vezes a altura máxima dos edifícios construídos na avenida.

A cidade é como um grande museu ao ar livre, onde cada quarto é um grande bairro. Você abre a porta e não sabe o que vai encontrar, é uma caixinha de surpresas. Distrito de Recoleta, a Boca, Palermo, Puerto Madero, São Telmo … Caminhando por suas ruas você é transportado para Madrid e até mesmo Paris. Edifícios antigos que te levam para a Europa e te trazem de volta quando um policial te aconselha”A mochila, para a frente“. Novamente o halo de insegurança que acompanha muitas cidades da América do Sul.

Você anda pela rua pedestre da Flórida quase se deixando levar por um poder consumista muito americano quando, de repente, alguém quase grita em seu ouvido”mudar, mudar“, “mudar, mudar“, “Dólar, Euro, Real” e retorna a Buenos Aires e sua mudança “azul”.

Seu metrô, aqui chamado de subte, é um dos mais baratos que conhecemos 3.50 pesos Uma viagem (0,25 euros) e uma das mais confusas para chegar a uma determinada estação. Você entra na Catedral Metropolitana e uma senhora sai à procura de um policial porque sua câmera foi roubada na mesma catedral! Você anda pelo bairro de Palermo à noite e sua atmosfera de palhas e terraços ao ar livre pega você, mas você se aproxima ao mesmo tempo, para o colorido bairro de La Boca e decide que é melhor não sair do carro, e mesmo dentro você se sente seguro.

Buenos Aires é uma cidade de grandes contrastes, um lugar que, como disse Andrés Calamaro, Você ama e odeia em partes iguais, de certa forma é um pouco como visitar a Índia, mas com alguma diferença, obviamente.

Fatos práticos sobre Buenos Aires:

Buenos Aires tem 2 aeroportos, Ministro Pistarini de Ezeiza e Aeroparque Jorge Newbery, sendo este último o mais próximo da cidade.

Todos os domingos o bairro de São Telmo oferece um imenso mercado de pulgas Ao ar livre, ilumine esta parte da cidade.

O segurança É uma questão à parte. É aconselhável caminhar com cautela, mas sem obcecar. Fique atento a bolsas, mochilas e bolsos. Evite certas áreas da cidade após o pôr do sol (La Boca, San Telmo, Once). Deixe grandes quantias no hotel e saia apenas com o suficiente, bem como documentos pessoais.

goncalo sousa

Sobre Goncalo Sousa

Gonçalo Sousa, graduado em Turismo, é um apaixonado viajante com uma rica bagagem de experiências internacionais. Seu currículo inclui a exploração de diversos países, o que o tornou um especialista na arte de viajar. Sua formação em Turismo é complementada por vivências autênticas em diferentes culturas, o que lhe confere uma visão única sobre o setor. Com um profundo conhecimento e uma paixão pela descoberta, Gonçalo busca compartilhar seu entusiasmo pelas viagens e contribuir para a indústria do turismo, tornando-o um profissional valioso e inspirador.