Home » Viagens » Estados Unidos » Roteiro de 9 Dias em Nova York

Roteiro de 9 Dias em Nova York

Assistir a um musical na Broadway, ir à praia em Coney Island, passear pelo Central Park, apreciar as luzes da Times Square durante o dia ou a noite, bem como entrar em alguns museus são apenas algumas das coisas que você pode fazer durante uma viagem a Nova York.

O diário a seguir é baseado no nosso dia a dia durante a visita de 9 dias à “Big Apple”. Uma publicação bastante esquemática onde não entramos em detalhes sobre os lugares que visitamos e incluímos despesas diárias. Um diário indicativo que pode te ajudar a organizar o seu dia a dia em Nova York. Continue lendo para saber mais sobre roteiro de 9 dias em Nova York.

Roteiro de 9 Dias em Nova York

Dia 1. Times Square, Bryant Park, Biblioteca Pública, Estação Central

Dia 2. Estátua do amor, Central Park, Museu de História Natural

Dia 3. Dia de compras: Jersey Gardens Outlet

Dia 4. World Trade Center, Parque de Baterias, Estátua da Liberdade (livre)

Dia 5. Soho, Pequena Itália, Chinatown

Dia 6. Passeio pela cidade, compras e música

Dia 7. Ounion Square, Chelsea Hights, Times Square

Dia 8. Tour contrastes de Nova York e Ilha Coney

Dia 9. Voltar para casa

Chegada em Nova York

Nossas passagens aéreas não estavam conectadas. Então saímos de casa com um certo nervosismo porque antes de um atraso no voo de Lisboa podíamos ficar em Madrid e não chegar a Nova York. O voo para Nova York partiu à noite, pelo que, em princípio, não devemos ter quaisquer problemas.

Transporte em Nova York

Felizmente ambos os voos partiram a tempo e chegamos ao destino sem qualquer problema. Pousamos meia hora antes do previsto no aeroporto JFK (John Fitzgerald Kennedy) e passamos quase tanto tempo na fila da imigração.

Fora do aeroporto JFK, pegamos um ônibus compartilhado de Manhattan (especificamente para Port Authority, bem ao lado da Times Square) por US$18 cada.

Transfers do aeroporto de Nova Iorque

Chegamos em Manhattan em grande estilo. Era noite e as luzes da Time Square pareciam exatamente como as tínhamos visto tantas vezes em diferentes filmes.

Nós reservamos nossa acomodação em Nova York, na área de Union City, através do Airbnb. Uma opção mais barata do que um hotel no centro da cidade grande. Union City fica a pouco mais de 15 minutos de ônibus do centro de Manhattan.

Então pegamos o ônibus indicado pela nossa proprietária (US$ 3.50 cada) para Union City.

Custo de transporte:
Maria Costa teria nos buscado no aeroporto JFK por EUA $ 85
Um táxi amarelo teria custado US$ 90
Custou-nos 41 US$ usando o transporte público

Dia 1. Times Square, Bryant Park, Biblioteca Pública, Estação Central

Primeiro dia em Nova York

Saímos de casa por volta das 12:00 hrs (precisávamos descansar e nos recuperar da mudança de horário). Nosso alojamento tem mais dois quartos que também são alugados. Um deles é ocupado por duas garotas alemãs muito simpáticas que conhecemos na hora do café da manhã.

Da nossa casa tiramos um “Ônibus Chicken” (nome que nossa proprietária dá alguns pequenos ônibus) na direção da Autoridade Portuária que nos custou 3 US$ cada. Nesses ônibus, os motoristas e usuários são majoritariamente latinos. Então, a sensação é de Encontre-se em um país da América do Sul.

De Union City, levou apenas 15 minutos para chegar ao centro de Manhattan. Por isso, recomendo essa opção para economizar um pouco na hospedagem. Só é necessário sair do centro de Manhattan para encontrar opções mais econômicas.

O primeiro dia que dedicamos à turnê Times Square, Bryant Park, Biblioteca Pública, Estação Central, Quinta Avenida, Rockefeller Center, Apple Store, Nike Store …

Terminamos a tarde no Bar na cobertura do 230 na Quinta Avenida com vistas espetaculares dos arranha-céus da cidade. Altamente recomendado. Não é um lugar barato. 14 US$ custou os coquetéis, mas valeu a pena.

Primeiras Impressões. Surpreendendo a quantidade de pessoas que estão em qualquer lugar da cidade, bem como o trânsito denso. Apesar do quão caótico e barulhento possa parecer, é uma cidade tranquila e não muito movimentada. Claro, você tem que ter cuidado com o trânsito. As pessoas não respeitam muito a sinalização, principalmente as faixas de pedestres.

Despesas do dia:
Falafel USD 6
Amendoim 2 US$
Bar na cobertura 45 US$
Jantar Restaurante Chinesa em Union City 13 US$

Dia 2. Estátua do amor, Central Park, Museu de História Natural

Saímos de casa uma hora mais cedo do que no dia anterior (11:00 hrs) e pegamos um “Chicken Bus” de volta para a Autoridade Portuária.

Nossa ideia era parar na 55th Avenue na Sexta Avenida para ver a escultura de Amor, entre na loja de brinquedos Fao Schwarz perto da Apple Store e passear Parque Central para terminar o dia do Alto da Rocha para ver a vista panorâmica da cidade durante o pôr do sol, no entanto, o frio e forte O vento mudou nossos planos.

Parque Central

Central Park do Topo da Rocha

Quando tínhamos viajado um terço do Parque Central Decidimos entrar no Museu de História Natural que está localizado perto do parque.

Começamos a fazer fila um pouco duvidosas porque tínhamos lido que a entrada era gratuita, por que estávamos na fila? Pedimos e fomos orientados a pegar os ingressos e fazer o doação Você tem que passar pelo checkout. Dito e feito. Entramos em quase todas as salas do museu. Algo antigo para o nosso gosto e não comparável com o de Londres mas interessante.

Saímos do museu e passeamos pela Rockefeller para um delicioso milkshake de chocolate branco com morango em “Davicon”.

Tailandês para o jantar pedimos de casa e logo depois fomos dormir. Exausto.

Despesas do dia:
Ônibus de frango 6 US$
Museu 10 US$
McDonalds 13 US$
Batido 6 US$
Jantar tailandês 13 US$

Dia 3. Dia de compras: Jersey Gardens Outlet

Decidimos mudar de terço. Faça um parêntese em nossa viagem a Nova York e dedique o terceiro dia aos famosos outlets da coisa leste. Então, de Union City, pegamos o ônibus 111 para Jardins de Jersey (de Union City é US$ 3,50) e o início da sua viagem é Port Authority.

Neste outlet não encontramos muitas pessoas, para nossa surpresa, e pudemos visitar diferentes lojas e comprar sem estresse. Como nos pontos de venda de Las Vegas, é fácil encontrar roupas masculinas a um bom preço, no entanto, as roupas femininas são escassas e/ou antiquadas.

o melhor de Nova York

Nike, Tommy, Reebok, Ralf Laurent, Adidas, Albercrombie e Finch, Victoria Secrets, lojas H&M e muitas outras lojas de marcas americanas. Se preferir ir para a área dos Outlets mais conhecidos (Woodbury Common Outlets) é melhor contratar o transferência.

De volta para casa, era lavar roupa (US$ 2 lavados e secos, US$ 1,5 detergente) e dormir. Union City nos lembra muito o Mission District de São Francisco. Uma área de latinos onde você se sente em casa.

Despesas do dia:
Almoço em Jersey Gardens 16 US$
Jantar no restaurante chinês 10 US$
Transporte 7 US$ (ida e volta)
Lavanderia US$ 3.50
Outlet shopping 260 US$

Dia 4. World Trade Center, Parque de Baterias, Estátua da Liberdade

Saímos do apartamento por volta das 11:00 hrs rumo a Manhattan. Lá compramos dois Metrocard de 7 dias (US$ 30 cada) porque planejamos pegar o metrô várias vezes naquele dia e nas próximas. Este cartão permite que você economize no transporte, porque a passagem é mais barata do que comprar um único.

A primeira parada do dia foi o Centro de Comércio Internacional para visitar o Memorial do 11 de Setembro. Duas piscinas simbolizando as torres gêmeas com os nomes das pessoas que morreram durante o ataque terrorista.

Depois de visitar o memorial com um nó na garganta lembrando de tudo o que aconteceu no dia 11 de setembro, saímos do local em direção à área financeira. Em busca daqueles prédios enormes que em muitas ocasiões observamos em filmes, Wall Street.

Em Wall Street, há um lugar especialmente conhecido, o touro.

Depois de entrar na fila para a foto fomos para Parque de Baterias para pegar a balsa para Ilha Staten e assim ver a Estátua da Liberdade. Este símbolo da cidade de Nova York, embora também encontramos estátuas da liberdade em outros países, pode ser visto de graça ao tomar a balsa regular que liga Manhattan a Staten Island. Esta balsa parte a cada 30 minutos.

Quando descemos do barco comemos algo no McDonalds, a única opção (12 US$) e nos aproximamos do Ponte do Brooklyn para depois ir até a Grand Central Station e se aproximar para subir o “Topo da Rocha” (US$ 25 cada).

Despesas do dia:
Jantar em casa 30 US$
Ônibus de frango 12 US$
Metrocard 60 EUA $
Almoço 12 US$
Suco: US$ 3.50
Topo da Rocha 50 US$
Compras 100 US$

Estátua da Liberdade da balsa

Dia 5. Soho, Pequena Itália, Chinatown

Começamos um novo dia de nossa viagem para Nova York pegando o metrô para o Soho. Andava Soho, Pequena Itália, Chinatown e caminhou até a Times Square! Horas e horas de caminhada que, com um clima agradável, gostamos muito.

No Soho as lojas são todas vintage, então nem na Nike nem na Billabong encontramos nada interessante. Almoçamos no Little Italy o cardápio do dia (salada ou sopa e massa segundo por 27 US$ ambos). No caminho para casa encontramos uma loja Desigual onde fizemos algumas compras.

Dia 6. Musical “Não se vista para jantar

Maria Costa conseguiu-nos dois bilhetes para uma peça na Broadway, “Não se vista para jantar” às 20:00 hrs. Tínhamos que estar atentos.re 19.30 hrs fora do teatro, então decidimos sair de manhã cedo, caminhar novamente pela cidade sem rumo, deixando-nos ir, almoçar e depois voltar para casa para tomar banho e nos preparar para sair novamente para Times Square.

Pegamos o metrô e descemos na 59 Lexington para chegar mais perto da Nike Store. Fizemos algumas compras e, na saída, nos aproximamos da Bloomingdale’s. Uma loja de departamentos com assinaturas de alta qualidade.

Almoçamos no “Buraco de Jackson” (232 East 64th Street), uma típica rede de hambúrgueres americana. Decidimos experimentar esses hambúrgueres enormes sabendo que talvez não conseguíssemos terminar a refeição. É verdade, mas eram deliciosos.

Ao sair caminhamos até Port Authority (tivemos que queimar as calorias consumidas durante essa viagem a Nova York). Entramos na loja ímpar e por volta das 16:00 hrs entramos no Chicken Bus de volta ao apartamento.

Chegamos em casa, descansamos, tomamos banho e voltamos para a Times Square. Compramos algo para comer e conhecemos Maria na entrada do teatro. Por 10 dólares por pessoa aproveitamos o trabalho que durou cerca de duas horas com uma pausa intermediária de cerca de 15 minutos. Uma experiência inesquecível.

Balsa Staten Island

A peça se passava na sala de um casal de classe média alta cujos amantes apareciam quase de surpresa na hora do jantar. Uma história emaranhada onde o cozinheiro-amante-primo de um deles com sotaque francês dava o ponto mais engraçado a cada cena.

Quando saímos, fomos ao “Sardy” tomar uns coquetéis.

Despesas do dia:
Ônibus de frango 12 US$
Almoço 35 US$
Coquetéis 41 US$
Loja Nike $75

Dia 7. Union Square, Chelsea Hights, Times Square

Partimos em direção ao bairro de Chinatown e de lá para Praça da União onde havia um mercado de pulgas. Caminhamos até a região e conhecemos um amigo que mora em Nova York. Lá comemos em um café alguns Kebabs (25 US$). Estava muito frio e você mal podia estar na rua, então entramos em um Starbucks (US$ 10).

Passeamos pelo bairro de Chelsea e tomamos uma cerveja em um bar no cais (US$20). Continuamos caminhando e acabamos subindo até o 20º andar de um prédio onde havia um bar de luxo com vista deslumbrante da cidade.

Terminamos o dia andando por aí Altos de Chelsea (visita essencial em qualquer viagem a Nova York). Metrô de volta à Times Square e jantar em um McDonalds (US$ 15). Era muito tarde e queríamos algo rápido porque estávamos realmente exaustos.

Total = US$ 90 despesas

Dia 8. Ilha Coney

Valorizamos a contratação do típico passeio conhecido como “Contrastes de Nova York”, mas no final não conseguimos fazê-lo.

Alternativamente ao passeio nomeado acima, decidimos visitar Coney Island por conta própria. Leva quase 1 hora para chegar lá da Times Square e custa o mesmo que uma simples viagem de metrô, então, se o tempo estiver bom, pode ser uma boa opção para sair da agitação de Nova York.

Dia em Coney Island

Vimos a feira, comemos um cachorrinho no famoso “Nathans” (nada da outra quinta-feira) e voltamos para a cidade grande. Passeamos pela Times Square e voltamos para casa. Jantamos e assistimos a um filme.

Despesas do dia:
Filhotes de cachorro em Nathans 8 US$
Donking Donuts 3 US$
Compras 44 US$
Jantar 23 US$

Dia 9. Outlet em Nova York e de volta para casa

Nosso voo saiu à noite, então decidimos tomar café da manhã e para não esperar o dia todo em casa, fomos para Jersey Gardens para as últimas compras. Foi perto e menos exaustão do que voltar para o centro de Manhattan.

Após o almoço em Jersey Gardens, retornamos para casa para nos arrumarmos, pegamos nossa bagagem e seguimos para o aeroporto. Às 15:30 hrs deixamos o que havia sido nossa casa por pouco mais de uma semana para pegar nosso último Chicken Bus.

Aí a gente pegou metrô para Jamaica Station (incluído no voucher do metro) e de lá para o aeroporto de trem aéreo JFK (5 US$). Fizemos o check-in e passamos muito tempo antes de passar pela verificação de segurança.

Total 60 US$ + 135 US$ em compras.

Esta viagem a Nova York não ficará em nossa memória como uma das melhores viagens que fizemos, mas gostamos. É verdade que 9 dias de viagem para Nova York pareciam demais. Provavelmente 4 dias teriam sido suficientes para nos fazer uma ideia pequena, mas significativa.

Achamos que o ideal, se você não gosta muito das grandes cidades, é continuar a viagem para outros lugares (talvez Washington ou Boston – veja Passeios e preços clicando no banner a seguir) depois de dedicá-lo entre Viagem de 3 e 5 dias para Nova York.

goncalo sousa

Sobre Goncalo Sousa

Gonçalo Sousa, graduado em Turismo, é um apaixonado viajante com uma rica bagagem de experiências internacionais. Seu currículo inclui a exploração de diversos países, o que o tornou um especialista na arte de viajar. Sua formação em Turismo é complementada por vivências autênticas em diferentes culturas, o que lhe confere uma visão única sobre o setor. Com um profundo conhecimento e uma paixão pela descoberta, Gonçalo busca compartilhar seu entusiasmo pelas viagens e contribuir para a indústria do turismo, tornando-o um profissional valioso e inspirador.