Home » Viagens » Portugal » O Bairro do Monte, no Funchal, um Passeio Entre Cestos de Vime

O Bairro do Monte, no Funchal, um Passeio Entre Cestos de Vime

Os carros do Monte permitem que você seja uma criança novamente, ninguém escapa que deitar morro abaixo em uma cesta de vime sem rodas é um daqueles prazeres da juventude. No entanto, além da diversão, a verdade é que os carreiros do Monte são uma relíquia viva de um tempo não tão distante em que eram um meio de transporte entre o bairro do Monte e o centro da capital da Madeira.

De facto, desde meados do século XIX que os habitantes das zonas altas da cidade, sobretudo na zona do Monte, utilizavam este Meios de transporte para chegar ao centro localizado cerca de 2 kms. na rua. Já naquela época se falava em carros de vime com capacidade para 2 passageiros e conduzidos por alguns carreiros famosos vestidos de branco imaculado.

Carreiros de Monte

As roupas brancas marcantes complementavam-na (hoje também) com um chapéu típico madeirense e calçado reforçado com borracha para poder travar nas curvas. Atualmente, a sua função é puramente turística e, apesar de poder parecer a maior dos turistas, a verdade é que é muito divertido (e caro) andar com os carreiros.

O Preço é de 25€ por pessoa (€ 30 se houver duas pessoas no carro) para um percurso entre o Monte e o bairro do Livramento. Menos de 10 minutos leva para completar a descida, então apesar das filas desistimos de tentar um das coisas mais recomendadas para fazer no Funchal.

Visite o Funchal

O teleférico do Funchal, até ao bairro do Monte

Visitar uma das zonas mais altas do Funchal é fácil. É possível chegar de táxi ou ônibus (linha de ônibus 20 e 21), embora talvez as maneiras mais confortáveis de fazê-lo são o carro alugado (que você certamente precisará para visitar a ilha) e o teleférico. Este último é o mais famoso de quantos teleféricos existem na Madeira.

Os 6 km atravessados nas cabines de vidro do teleférico dar-lhe vistas magníficas da cidade. Pouco a pouco nos afastamo do mar e podemos admirar a silhueta do Funchal e como a população tem vindo a colonizar cada uma das colinas e montanhas mais afastadas do centro. O que vemos nos lembra muito a ilha de La Palma.

O que ver no bairro do Monte do Funchal

Ao sair do teleférico encontrará um miradouro agradável onde poderá tirar algumas fotografias quase do topo do Funchal, no entanto, a poucos passos de distância encontra-se o seu jardim botânico. Estamos falando de um parque de 35.000 m2 que abriga mais de 2.000 plantas endêmicas da ilha. Sem dúvida, vale a visita.

Nossa próxima recomendação é caminhar pelas estreitas ruas de paralelepípedos que levam ao pé do famoso Igreja de Nostra Senhora do Monte dentro do qual está o túmulo do último imperador da Áustria (Carlos I de Habsburgo). 74 passos levam-nos a este templo tão importante na história da Madeira. A igreja tem uma fachada com frontão barroco e é aberta por grandes janelas e um pórtico com arcadas. Dentro encontramos uma Virgem em um tabernáculo de prata.

Recomendações para aproveitar o seu tempo de viagem na Madeira

Durante os seus dias na Madeira vai perceber que ter um carro alugado Torna a sua vida tremendamente mais fácil. Da mesma forma, não é uma má opção gerir o aluguer para quando vai sair do Funchal porque o O centro da cidade é toda zona azul pelo que você tem que pagar. No entanto, você pode chegar ao Funchal em um cruzeiro com 1 dia de escala, então, nesse caso você recomendou economizar tempo e organizar excursões com antecedência.

IntErior da igreja do Bairro do Monte

goncalo sousa

Sobre Goncalo Sousa

Gonçalo Sousa, graduado em Turismo, é um apaixonado viajante com uma rica bagagem de experiências internacionais. Seu currículo inclui a exploração de diversos países, o que o tornou um especialista na arte de viajar. Sua formação em Turismo é complementada por vivências autênticas em diferentes culturas, o que lhe confere uma visão única sobre o setor. Com um profundo conhecimento e uma paixão pela descoberta, Gonçalo busca compartilhar seu entusiasmo pelas viagens e contribuir para a indústria do turismo, tornando-o um profissional valioso e inspirador.