Home » Viagens » Portugal » O Que Fazer em Furnas, Uma Cidade Cercada por Fumarolas

O Que Fazer em Furnas, Uma Cidade Cercada por Fumarolas

Que São Miguel é uma ilha vulcânica que é óbvia. Assim que você olhar de perto, você verá pequenos vulcões camuflados entre vacas e prados verdes. No entanto, há um lugar onde a atividade geotérmica é mais evidente, um lugar onde as fumarolas entram em erupção incansavelmente. A beleza de Furnas é indiscutível O que, juntamente com a sua localização única, torna esta área da ilha uma obrigação. Existem vários lugares interessantes para ver em Furnas.

Esta cidade fica literalmente, no fundo, de uma imensa caldeira vulcânica cuja última erupção é datada por volta do ano de 1630. Muito perto da aldeia está localizada a Lagoa das Furnas, um grande reservatório de água não potável em cujas margens é comum ver poças de água fervente que emitem abundantemente de vapor. Aproximar-se é sentir o calor liberado e deixar-se envolver por um cheiro intenso de enxofre.

Caldeiras em Furnas

O Que fazer em Furnas, a aldeia à beira do lago

Miradouro Pico do Ferro

Para poder apreciar como é Furnas, o melhor é começar as visitas do alto. Alguns pontos de vista olham para o abismo de modo que os 180º de visão o colocam em situação. O melhor local para isso é conhecido como Miradouro Pico do Ferro, localizado a pouco mais de 10 minutos do centro da cidade e facilmente acessível de carro. De lá, é possível ver grande parte do interior da caldeira, onde fica tanto a vila de Furnas quanto o lago.

Se olhar de perto, junto à Lagoa das Furnas consegue distinguir a zona das Caldeiras, o local onde é preparado o prato típico da aldeia chamado Cozido das Furnas. Este local é imperdível entre os que podem ser vistos em Furnas. Outros mirantes recomendados são a Vista do Vale, de onde se observa apenas a aldeia das Furnas, e Salto do Cavalho de onde se avista o vale das Furnas e as encostas norte e sul de São Miguel. Ambas as paradas são fáceis de fazer porque são indicadas ao descer a estrada que dá acesso à cidade.

Lagoa das Furnas

Uma das grandes atrações de São Miguel são seus lagos. Existem cerca de 12 espalhados pela ilha ocupando caldeiras vulcânicas de maior ou menor tamanho, sendo 3 delas imperdíveis. Lagoa do Fogo, Lagoa Sete Cidades e Lagoa das Furnas são locais que deve incluir no seu percurso pela ilha.

Talvez Furnas e seu entorno chamem a atenção pela atividade geotérmica existente sob o subsolo. É o que torna este lago especial e diferente dos anteriores. Assim, encontramos uma faixa de terra chamada Caldeiras, áreas em que aparecem poças de água fervente que emitem vapor e gases como enxofre. Infelizmente o lago não é adequado para banho, mas sua beleza é indiscutível.

Caldeiras do Cozido das Furnas

O ideal é chegar em Furnas antes da hora do almoço. Ao fazê-lo, pode aproximar-se da zona das Caldeiras, onde é possível atravessar algumas poças em segurança utilizando os passadiços habilitados (acesso ao parque de estacionamento e Caldeiras é de € 3 por pessoa). Mas não só isso, tenha cuidado durante a caminhada, pois lá são preparados no subsolo os famosos “Cozidos das Furnas”, o prato típico da região.

Esta iguaria açoriana é composta por vários tipos de carne (frango, chouriço, morcela e porco), legumes (cenoura, couve, acelga e nabos) e arroz. Toda essa iguaria é colocada para cozinhar no subsolo por cerca de 8 horas. Por volta das 12 horas da manhã o pessoal das Caldeiras leva os ensopados para serem servidos em alguns dos restaurantes da cidade. Razão o suficiente para chegar perto do lago e desfrutar deste espetáculo culinário para ver em Furnas.

Casa abandonada de Grená

Entre o lago e as Caldeiras encontramos uma antiga casa abandonada chamada Grená. Não é que tenha uma grande lenda, ou seja, um dos essenciais para ver nas Furnas, mas o seu estado de abandono é marcante e é inevitável perguntar-se que história terá por trás.

No século XIX, um colono inglês comprou parte das terras próximas ao lago. Mais tarde, vendeu-a a um cônsul inglês de Ponta Delgada chamado Vines, que construiu esta casa juntamente com uma mansão a cerca de 60 metros do lago projetada como casa de Verão. O imóvel passou por várias mãos e até a mansão chegou a funcionar como hotel antes de ser abandonada.

Caldeiras da aldeia de Furnas

Não só junto à Lagoa das Furnas encontramos as Caldeiras. Na entrada da aldeia existe um parque onde a atividade é contínua. A área é completamente delimitada e cada fumarola tem uma placa com seu nome. Encontramos alguns secos e outros em plena ebulição. As colunas de vapor atingem dezenas de metros de altura, dando-lhe uma aparência realmente sombria.

Você pode caminhar ao redor dele, enquanto observa e sente sua atividade. Se você parar por um momento perto daqueles mais próximos do calçadão, você pode até “ouvir” o vulcão. Passear por esta área é uma experiência digna de outros destinos vulcânicos, como a Islândia.

Poça da Dona Beija

Como não poderia deixar de ser, nas Furnas existe um complexo onde se pode banhar-se e relaxar entre piscinas de água quente e entre fumarolas a vapor. A área tem 5 pequenas piscinas onde você pode nadar e permanece aberto entre 07:00 e 23:00 hrs. A entrada custa 6€ por adulto.

Casa invertida das Furnas

Dentro da cidade de Furnas existem alguns lugares curiosos para caminhar e tirar uma fotografia única, como a conhecida como a casa invertida. Na verdade, esta curiosa casa não é habitada, mas pertence à prefeitura e é uma estação de transformação de energia elétrica localizada em frente à igreja Nossa Senhora da Alegria.

Parque Botânico Terra Nostra

No centro de Furnas encontramos um antigo casarão do século XVIII convertido em hotel, o Hotel Terra Nostra. No interior, e aberto ao público, encontra-se o Jardim Botânico da Terra Nostra (8€ por pessoa – horário das 10h00 às 18h00).

Além das joias botânicas do parque de diferentes partes do mundo, vale destacar a piscina termal rica em sais de castanha cuja temperatura costuma ficar em torno de 25 °C.

O que visitar depois de Furnas?

Na zona sul de São Miguel e a 30 minutos de carro de Furnas encontramos Vila Franca do Campo. A primeira capital da ilha até 1522 não tem grande atração, mas recomendamos uma parada em uma das igrejas mais icônicas da ilha, o santuário de Nossa Senhora da Paz data do século XVI embora tenha sido reconstruído e restaurado várias vezes.

As 10 escadas que devem ser subidas antes de chegar à igreja são impressionantes. Em cada um deles encontramos mosaicos representando as orações do Senhor e os degraus simbolizam partes do Rosário. Em qualquer caso, o lugar é digno de várias fotos, bem como as vistas da vila e Ilhéu de Vila Franca do Campo são muito bonitas.

goncalo sousa

Sobre Goncalo Sousa

Gonçalo Sousa, graduado em Turismo, é um apaixonado viajante com uma rica bagagem de experiências internacionais. Seu currículo inclui a exploração de diversos países, o que o tornou um especialista na arte de viajar. Sua formação em Turismo é complementada por vivências autênticas em diferentes culturas, o que lhe confere uma visão única sobre o setor. Com um profundo conhecimento e uma paixão pela descoberta, Gonçalo busca compartilhar seu entusiasmo pelas viagens e contribuir para a indústria do turismo, tornando-o um profissional valioso e inspirador.