Home » Viagens » Portugal » Sete Cidades, O Que Ver na Zona Mais Visitada de São Miguel

Sete Cidades, O Que Ver na Zona Mais Visitada de São Miguel

Muito perto de Ponta Delgada está localizado Um dos grandes atrativos naturais (mais uma) que a ilha portuguesa de São Miguel tem. Um lugar cenário de histórias e lendas antigas onde o romantismo assume tanto destaque quanto vulcões estão espalhados pela ilha. Mitos à parte, também há verdades palpáveis. Em Sete Cidades tudo tem espaço desde lagos coloridos a trilhos pedestres por uma aldeia tão tranquila e ordeira que parece tirada de um filme americano dos anos 60.

É fácil encontrar a chamada Lagoa das Sete Cidades, local que ocupa o interior de um vulcão que passou por processos de construção e destruição resultando em um acidente geológico peculiar. Curiosamente, o lago é formado por dois outros lagos, mas de cores diferentes. Ambos estão separados por uma pequena faixa de terra. Mas não é só por essa singularidade colorida que é especial a área já que, além disso, falamos do maior corpo d’água da região. Um recurso de água doce muito importante de São Miguel.

Een Sete Cidades esperam que encontremos a atividade vulcânica que existe em lugares como Furnas e suas Caldeiras. A última erupção nesta área ocorreu no século XV, provavelmente em 1445, pois não foi documentada. Não muito longe, especificamente em Ponta Ferraria, a atividade vulcânica ainda é palpável.

Lá, na Ferraria, onde a costa é íngreme e íngreme há uma pequena enseada que aproveita uma corrente de água quente subterrânea que eleva a temperatura do mar para 28-30ºC. Tomar banho no oceano entre uma mistura de água quente e fria deve ser um verdadeiro prazer (não o fizemos).

Os melhores miradouros em direção às Sete Cidades

A partir de Ponta Delgada, capital de São Miguel, existem 2 estradas em direção às Sete Cidades, nome do vulcão e também de uma pequena aldeia construída no interior. Você pode contornar a costa oeste da ilha ou pegar a estrada secundária que atravessa seu interior. A distância é de pouco menos de 35 km em ambos os casos.

O ideal é ter um carro alugado (totalmente recomendado) mas também há excursões organizadas para Lagoa Sete Cidades. Claro, antes de fazer a reserva recomendamos que você verifique o boletim meteorológico para confirmar que a visibilidade nas Sete Cidades é boa. Assim como na Lagoa do Fogo e na Lagoa das Furnas, essa lagoa é bastante afetada por nuvens baixas.

Miradouro Pico do Carvão

Passear pelo interior de São Miguel significa deixar para trás (e à esquerda e à direita) prados onde as vacas pastam alheias às maravilhas naturais da ilha. A pecuária é um dos grandes pilares da economia. São milhares de vacas, além de várias fábricas onde se preparam derivados do leite, como iogurtes, manteiga ou simplesmente sua carne.

É assim que se chega ao miradouro do Pico do Carvão, ponto a partir do qual se pode tirar a melhor fotografia do interior de São Miguel. De lá nos maravilhamos com os diferentes tons de verde, com o azul do céu e do mar. Não é uma ilha de grandes montanhas ou picos, na verdade o ponto mais alto tem 1.103 metros e é chamado de Pico da Vara.

Miradouro Pico do Carvão na ilha de São Miguel

Lagoa do Canário

O próximo ponto é a Lagoa do Canário, 1 das 12 lagoas mais importantes de São Miguel. É cercado inteiramente por centenas, talvez milhares de espécimes de pinheiros de Norfolk que atuam como uma barreira visual para outros lagos ou vulcões.anes da ilha. Este lago em particular é, em muitas ocasiões, ignorado porque o mesmo trilho de terra leva ao miradouro da Boca do Inferno, um dos maiores expoentes de São Miguel.

Como chegar à Boca do Inferno? Em frente ao acesso à Lagoa do Canário existe uma área de estacionamento. Lá uma placa indica o horário da Lagoa do Canário (08:30-15:00 hrs.). Nesse intervalo de tempo as cercas ficam abertas e é possível acessar com o veículo. Caso contrário, você terá que estacionar fora e caminhar 15 minutos como o corvo voa para chegar à Boca do Inferno. Não se preocupe, a qualquer hora geralmente há pessoas, mesmo ao pôr do sol.

Miradouro Boca do Inferno

Sete Cidades é uma caldeira vulcânica em colapso formada como resultado de erupções vulcânicas muito explosivas. O acúmulo de material vulcânico em determinadas circunstâncias pode formar uma camada impermeável na base do vulcão, o que facilita o acúmulo de água. Após a formação do vulcão das Sete Cidades, mais erupções vulcânicas ocorreram no interior que formaram a Caldeira Seca, Lagoa Rasa, Lagoa Verde, Lagoa Azul, Caldeira do Alferes e Lagoa de Santiago.

Do mirante da Boca do Inferno, alguns deles são observáveis porque a 730 metros de altura a vista é privilegiada e isso faz com que Um dos miradouros mais fotogênicos da ilha. Caminhar pelo caminho estreito que leva ao mirante é uma experiência em si, pois se perde no horizonte que se funde com o mar. Desta impressionante varanda avista-se o interior da caldeira das Sete Cidades e a pequena vila das Sete Cidades, mas é a Lagoa de Santiago (à esquerda da imagem) que adquire um papel maior.

Miradouro Vista do Rei

A estrela dos miradouros de São Miguel é o Miradouro Vista do Rei, a próxima paragem, e como tal costuma ser bastante concorrido (o estacionamento é limitado). As vistas são espectaculares porque pode ver confortavelmente a aldeia das Sete Cidades e ambos os lagos. Dentro da grande depressão do vulcão das Sete Cidades, a água da chuva é armazenada naturalmente e adquire uma cor diferente em cada lado, distinguindo a conhecida como Lagoa Azul e Lagoa Verde.

As diferentes tonalidades são o produto da combinação dos raios solares e seu impacto sobre as algas e plantas que crescem em seu interior. Dito isso, embora as vistas sejam ótimas, nossa recomendação envolve um pouco de aventura. Do outro lado da estrada há um hotel abandonado que pode ser acessado para, a partir de seu telhado, ver tudo mais amplamente e sem obstáculos visuais. Abaixo mais informações sobre o assunto.

Hotel abandonado em Vista do Rei (Monte Palace)

Por detrás do miradouro da Vista do Rei, sofrendo a passagem do tempo em resultado de um plano turístico ganancioso numa ilha pouco visitada, encontram-se as ruínas do hotel Monte Palace, um estabelecimento de primeira classe com vistas privilegiadas sobre a Lagoa Sete Cidades. Originalmente, o hotel tinha 89 quartos, 2 restaurantes, salas de conferências e spa, mas Está abandonado desde 1990. Encerrou um ano e meio depois da sua inauguração.

O acesso ao interior não é oficialmente permitido, mas sempre com cuidado e responsabilidade há muitos que se atrevem a fazê-lo. A maneira mais fácil é entrar a partir do estacionamento secundário da Vista do Rei (onde fica o bar do ônibus). Você verá pessoas pulando muros de outros lados, mas nos ouça e vá onde indicamos para evitar subidas e saltos desnecessários.

O interior do hotel é o cenário de um verdadeiro filme de terror. É sombrio e sombrio. O silêncio é quebrado pelos passos dos turistas que entram em busca de como acessar a parte mais alta do recinto. O primeiro andar, que já foram os azulejos do luxuoso spa, lembra o filme “Jogos Mortais”.

Uma escada em caracol com grafites coloridos leva ao segundo nível do luxuoso hotel. Salas vazias com grandes janelas se sucedem até chegarem às escadas para o próximo andar. De lá, você chega ao último nível e só precisa apreciar as vistas. Andar pelo prédio não é particularmente difícil (além da diversão de passar por algo tão decadente).

Miradouro Cerrado das Freiras

A sucessão de miradouros em direção ao Lago das Sete Cidades continua com a visita ao Miradouro Cerrado das Freiras. Este é facilmente encontrado seguindo a estrada que desce em direção à vila das Sete Cidades. De lá, parece que você pode tocar os lagos. Este lugar em São Miguel tem uma lenda muito particular. Ele conta que ambos os lagos foram formados com as lágrimas derramadas por dois amantes durante uma história de amor impossível.

Na pequena aldeia das Sete Cidades vivia uma jovem princesa de olhos azuis cujo nome era Antília. Ali vivia um jovem pastor de olhos verdes que costumava vagar por seus prados. Certa manhã, seus caminhos se cruzaram e, a partir daquele momento, todos os dias estavam no mesmo lugar. O rei das Sete Cidades não olhou com bons olhos para o idílio porque queria que a filha se casasse com um príncipe de uma aldeia próxima e proibiu Antília de continuar a ver o pastor.

A ordem era tão dolorosa e amarga que os amantes não conseguiam conter as lágrimas que derramavam num grande caldeirão formado pela Lagoa Verde com as lágrimas do pastor de olhos verdes e pela Lagoa Azul com as lágrimas da princesa. Dessa forma, a união dos amantes permanece no espaço e no tempo.

Os lagos azuis e verdes lugares essenciais para ver em São Miguel

Vila das Sete Cidades

O nome Sete Cidades vem de um grupo de clérigos que viviam nesta área por volta do ano 750. Nessa altura (Idade Média) a ilha de São Miguel era conhecida como “Insula Septem Civitatum” (Ilha das Sete Tribos ou Ilha dos Sete Povos).

Na aldeia e No final de um caminho estreito entre pinheiros aparece o Igreja de São Nicolau, em estilo colonial antigo foi feito usando pedra vulcânica. Este edifício apresenta-se como o lugar mais marcante da aldeia formada por casas de um ou dois níveis rodeadas por uma tranquilidade fora deste mundo. Na verdade, o silêncio é sepulcral.

Lugares que você deve visitar perto de Sete Cidades

Mosteiros

É provável que em Sete Cidades não encontre onde comer, pelo que a melhor opção é continuar mais 10 km por estrada até à pequena cidade costeira de Mosteiros. Um dos pratos típicos para experimentar é o Polvo assado e o local mais recomendado para isso é em O Américo de Barbosa, um restaurante muito fácil de localizar onde também recomendamos que experimente o queijo fresco de São Jorge servido com pimenta da terra. Uma das iguarias da ilha.

O queijo fresco com molho de pimenta vermelha é uma das entradas típicas dos Açores

Polvo é um dos pratos típicos da aldeia de Mosterios, perto das Sete Cidades

Miradouro Ponta do Escalvado

Em São Miguel há miradouros para o aborrecer. Alguns deles cênicos e outros usados durante o boom da indústria baleeira na ilha para observação de baleias. Um deles está localizado a sul em direção a Ponta Delgada, o miradouro da Ponta do Escalvado com vista para a costa oeste e a cidade de Mosteiros a norte. Um lugar para admirar parte da bela costa daquela área da ilha.

Miradouro Ponta do Escalvado

Miradouro da Ihla Sabrina

Um pouco mais ao sul está a Ponta da Ferraria. Lá, a recente atividade vulcânica transforma as paisagens da área em um dos lugares mais marcantes da ilha. Fez-nos lembrar as costas das Ilhas Canárias (na verdade) ambos os arquipélagos pertencem à Macaronésia). A Ponta da Ferraria é conhecida pelas termas Termas da Ferraria e pela curiosa enseada termal que se forma na maré baixa.

A primeira aproximação à Ponta da Ferraria é feita a partir do mirante Ihla Sabrina. Aos seus pés e à direita você pode ver as instalações do spa, a área de estacionamento e o pequeno caminho que leva à enseada termal. Do outro lado, o protagonista da imagem é o Farol da Ponta Ferraria (1901) um dos mais emblemáticos desta zona de São Miguel.

Miradouro Ponta da Ferraira é um dos melhores miradouros de São Miguel

Termas da Ponta da Ferraria

O spa tem uma pequena piscina que recebe água termal vulcânica de 2 nascentes da Ferraria. Um spa ao ar livre tendo em conta as qualidades terapêuticas das águas, no entanto em fevereiro encontrámos as instalações totalmente fechadas ao público.

À esquerda do edifício principal, há um caminho em direção à costa. Pouco menos de 5 minutos a pé é a famosa enseada termal. Importante, se você quiser tomar um banho não se esqueça de verificar o calendário de marés porque É na maré baixa quando a água se sente especialmente quente.

O banho é altamente recomendado em qualquer lugar. Obviamente em um é livre e no outro não. Da Ferraria pode continuar para sul em direcção a Ponta Delgada (26 km de distância). Se você quiser ir para o norte, há um lugar curioso chamado Molino do Pico Vermelho e está localizado ao lado da ermida de San Antonio. Um dos poucos moinhos de milho conservados em São Miguel.

No mapa seguinte apontamos todos os pontos importantes a que nos referimos nesta publicação sobre as Sete Cidades para que possa localizar melhor os locais mais emblemáticos da ilha de São Miguel e organizar o percurso da melhor forma possível.

Mapa com os melhores miradouros de São Miguel

goncalo sousa

Sobre Goncalo Sousa

Gonçalo Sousa, graduado em Turismo, é um apaixonado viajante com uma rica bagagem de experiências internacionais. Seu currículo inclui a exploração de diversos países, o que o tornou um especialista na arte de viajar. Sua formação em Turismo é complementada por vivências autênticas em diferentes culturas, o que lhe confere uma visão única sobre o setor. Com um profundo conhecimento e uma paixão pela descoberta, Gonçalo busca compartilhar seu entusiasmo pelas viagens e contribuir para a indústria do turismo, tornando-o um profissional valioso e inspirador.